Estudo em tanque de imersão explora impactos de viagens espaciais em mulheres

A microgravidade experimentada por astronautas pode impactá-los de várias maneiras. Os músculos e ligamentos têm menos trabalho, fluidos se deslocam em direção à cabeça, e a coluna vertebral, que nos mantém de pé, também experimenta situações diferentes na dança espacial. Os astronautas podem perder densidade muscular e óssea ou apresentar problemas de audição e visão. E esses são só alguns exemplos.

Cientistas realizam uma série de pesquisas para entender os possíveis impactos das viagens espaciais no corpo humano e encontrar maneiras de manter os astronautas saudáveis durante as missões ou quando retornam à Terra. Mas, por enquanto, a maioria dessas pesquisas estuda o corpo masculino.

Pensando em abordar essa lacuna de gênero, a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) está realizando um experimento com 20 voluntárias. Elas passarão alguns dias com o corpo suspenso em tanques de imersão a seco para simular o impacto da microgravidade em seus hormônios, músculos, esqueleto, sistema imunológico e cardiovascular.

Agência Espacial Europeia pretende abordar lacuna de gênero na área de pesquisa a partir de experimento simulando microgravidade com 20 voluntárias

Estudo em tanque de imersão explora impactos de viagens espaciais em mulheres

publicado originalmente em superinteressante

4 respostas para “Estudo em tanque de imersão explora impactos de viagens espaciais em mulheres”

  1. Li e já não me senti confortável, rsrs!.. É que me imagei na experiência. Falando sério, bom. Cada vez mais se avança em muitas áreas. Vamos aguardar para constatar como a mulher progride também em relação aos resultados de imersão, digo ” os impactos ” em si.

✨🌻