Arte … por Voltaire

“A pintura é poesia sem palavras.”

🌻Voltaire

Imagens do Pinterest : Caravaggio e Renoir

Comedores seletivos: os difíceis para comer

Criança que não come nenhum tipo de fruta ou verdura. Adolescente que não deixa passar verde no prato. Adulto que resiste a toda e qualquer salada. Quem disse que a seletividade alimentar é só coisa da infância? Pelo contrário, esse comportamento pode se perpetuar pela juventude e a fase adulta, trazendo consequências desagradáveis.

Sim, o comedor seletivo pode crescer! É o que atesta o primeiro estudo que se debruça sobre o avanço da seletividade alimentar ao longo da vida. Realizado pela Universidade Stanford, nos Estados Unidos, o trabalho foi de longa duração e coletou dados com os pais de 61 jovens sobre seus hábitos alimentares aos 2, 7, 9 e 11 anos de idade. Tempos depois, os participantes, todos já com 23 anos, se autoavaliaram para fechar a pesquisa.

Esse perfil pode trazer desafios para o desenvolvimento na infância e se estender e afetar a vida adulta. Faça um teste para saber se é o seu caso

Comedores seletivos: os difíceis para comer

publicado originalmente em Veja saúde

Corais do Atlântico tropical têm futuro ameaçado pela crise climática

Os recifes de corais são muito importantes para vida marinha: eles servem como locais de alimentação, reprodução e refúgio para várias espécies. O problema é que eles são especialmente suscetíveis às mudanças climáticas, especialmente o aumento da temperatura dos oceanos.

Quando eles morrem, levam junto ecossistemas marinhos inteiros num efeito dominó. Para investigar o que pode acontecer com os recifes de coral do Atlântico Sul, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estudaram três espécies de corais. O estudo foi publicado recentemente no periódico especializado Frontiers in Marine Science.

Cientistas coletaram dados e usaram simulações de computador para descobrir como o aquecimento global vai afetar três espécies importantes para a construção de recifes no nosso quintal oceânico.

Corais do Atlântico tropical têm futuro ameaçado pela crise climática

publicado originalmente em superinteressante

O bastante…

Como é ilusório, tênue

Íntimo e infame

O que para uns é tão pouco

Para outros é o bastante

Um cantinho,um lugar

Um sorriso,um nome

Pouco ou muito é o que há

Seja de luz,de fome

De ouro ou o instante

Cada sentir é único

Cada vontade soberana

Simples não é, importa olhar

Detectando a cada quadro

O que deseja alcançar

O que pra ti é tão pouco

Pode ser a diferença

Entre a fome e a saciez

Entre o frio e a coberta

Muito,ou nada…

… pouco ou tudo

Que seja o bastante

Que torne sublime

A existência humana ✨

imagens do Pinterest

Registros fósseis em cavernas de Minas mostram que o estado já teve mar

A história geológica do planeta Terra pode facilmente ser comparada à novela adolescente Malhação, da Globo. Nunca acaba, é dividida em diferentes fases, que são divididas em temporadas, as quais têm muitos episódios em que, uma hora ou outra, são apresentados alguns novos personagens. 

O assunto é complexo, então, vale fechar um pouco a perspectiva: a novela deste texto se chama Pré-Cambriano – nome que se dá a tudo que aconteceu na história da Terra entre a origem do planeta, há 4,5 bilhões de anos, e o momento em que os animais se diversificaram e tomaram conta do planeta, a partir de 542 milhões de anos atrás. Ou seja: é um enredo de 4 bilhões de anos.

Pesquisadores da UFU e da UNIFESP encontraram construções calcárias que indicam a existência de vida microbiana na região há 1 bilhão de anos.

Registros fósseis em cavernas de Minas mostram que o estado já teve mar

publicado originalmente em superinteressante