A Cegante Feitiçaria de Ouro

foto: Xamã Yanomami, Amazonas, Venezuela – Barbara Crane Navarro

Como afirma o porta-voz Yanomami Davi Kopenawa em seu livro “A Queda do Céu”: “Para os mais velhos, o ouro era apenas lascas brilhantes na areia dos leitos dos rios, como a mica. Eles coletaram para fazer uma substância de feitiçaria destinada a cegar as pessoas de quem estavam zangados. … Este pó de metal era […]

A Cegante Feitiçaria de Ouro

publicado originalmente em Bárbara Crane Navarro

Assista a “Elis Regina – “Aprendendo a jogar” (Fantástico 1980)” no YouTube

🇧🇷 Aprendendo a jogar

Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Água mole em pedra dura
Mas vale que dois voando
Se eu nascesse assim pra Lua
Não estaria trabalhando

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Mas em casa de ferreiro
Quem com ferro se fere é bobo
Cria a fama, deita na cama
Quero ver o berreiro na hora do lobo

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando
Nem sempre perdendo
Mas, aprendendo a jogar

Quem tem amigo cachorro
Quer sarna para se coçar
Boca fechada não entra besouro
Macaco que muito pular quer dançar

Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah
Dig dig dig dig dig da cá ah ah

🇧🇷Fonte: MusixmatchCompositores: Guilherme Arantes

Letra de Aprendendo a jogar © Warner/chappell Edicoes Musicais Ltda

imagens da internet

Doenças raras: uma jornada desafiadora

De acordo com especialistas, para melhorar a assistência aos pacientes é preciso jogar luz sobre essas condições progressivas e muitas vezes incapacitantes.
A partir de então, o último dia do mês de fevereiro é dedicado a ações voltadas à conscientização sobre a complexidade dessas condições. São conhecidas entre 6 000 e 8 000 doenças raras, em geral com origem em alterações genéticas. Isoladamente, elas compreendem 65 casos em grupos de 100 000 habitantes;¹ somadas, afetam em torno de 13 milhões de brasileiros.

Doenças raras: uma jornada desafiadora

publicado originalmente em Veja saúde

Assista a “URGENTE! GOVERNO BOLSONARO NÃO QUER QUE O POVO VEJA ESSA REPORTAGEM” no YouTube

Mais um horror para a conta deste desgoverno…

Nesta reportagem profissionais de saúde relatam a falta de kits intubação…a dor indescritível dos pacientes e seu próprio desespero em nada poder fazer.

Também nos conta que o desgoverno federal se recusou a comprar insumos várias vezes,sem se dignar a dar explicações.

Ninguém merece passar por isso, ninguém.😔

imagens do wordpress

Assista a “Emicida & Rael [Som Brasil] – Pra não dizer que não falei das flores” no YouTube

🏵️🌻🌺Pra não dizer que não falei das flores…

Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Pelos campos há fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecerVem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição
De morrer pela pátria e viver sem razão

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Vem, vamos embora…

🏵️Fonte: Musixmatch

Compositores: Geraldo Pedrosa De Araujo Dias… Geraldo Vandré

Letra de Pra não dizer que não falei das flores © Editora E Imp Musical Fermata Do Brasil

imagens da internet