O Rio e o Oceano…por Osho

“Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas,o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência.

Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece.
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é
renascimento.


Assim somos nós.
Só podemos ir em frente e arriscar.
Coragem! Avance firme e torne-se Oceano! “

🌷Osho

imagens do WordPress

Assista a “Clara Nunes – Coisa Da Antiga” no YouTube

🌷 Coisa da Antiga

Na tina, vovó lavou, vovó lavou
A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar


E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar

Hoje mamãe me falou de vovó só de vovó
Disse que no tempo dela era bem melhor
Mesmo agachada na tina e soprando no ferro de carvão
Tinha-se mais amizade e mais consideração

Disse que naquele tempo a palavra de um mero cidadão
Valia mais que hoje em dia uma nota de milhão
Disse afinal que o que é de verdade
Ninguém mais hoje liga


Isso é coisa da antiga, oi na tina

Na tina, vovó lavou, vovó lavou
A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar


E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar

Hoje o olhar de mamãe marejou só marejou
Quando se lembrou do velho, o meu bisavô
Disse que ele foi escravo mas não se entregou à escravidão
Sempre vivia fugindo e arrumando confusão

Disse pra mim que essa história do meu bisavô, negro fujão
Devia servir de exemplo a esses nego pai João
Disse afinal que o que é de verdade ninguém mais hoje liga


Isso é coisa da antiga, oi na tina

Na tina, vovó lavou, vovó lavou
A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar

E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
Muita fumaça e calor no ferro de engomar

🌷Fonte: Musixmatch

Compositores: Nei Braz Lopes / Wilson Moreira Serra

Letra de Coisa da Antiga © Edicoes Musicais Tapajos Ltda

imagens do WordPress

Assista a “Jessé: Voa liberdade 1981 / Inédito” no YouTube

✨✨Voa Liberdade…

Voa, voa minha liberdade
Entra se eu servir como morada
Deixa eu voar na sua altura
Agarrado na cintura
Da eterna namorada

Voa, feito um sonho desvairado
Desses que a gente sonha acordado
Voa, coração esvoaçante
Feito um pássaro gigante
Contra os ventos do pecado

Voa, nas manhãs ensolaradas
Entra, faz verdade essa ilusão
Voa, no estalo do meu grito
Quero ver teu infinito
Nesse azul sem dimensão

Voa, no estalo do meu grito
Quero ver teu infinito
Nesse azul sem dimensão
Voa, voa minha liberdade

Ahhh, voa, coração esvoaçante
Feito um pássaro gigante
Contra os ventos do pecado
Voa, nas manhãs ensolaradas
Entra, faz verdade essa ilusão

Voa, no estalo do meu grito
Quero ver teu infinito
Nesse azul sem dimensão

Voa, no estalo do meu grito
Quero ver teu infinito
Nesse azul sem dimensão
Voa…

✨🧚‍♂️Fonte: Musixmatch

Compositores: Mario Lucio Rocha E Silva / Mario Lucio Mario Lucio / Eunice Barbosa Eunice Barbosa

Letra de Voa liberdade © Universal Mus. Publishing Mgb Brasil Ltd

imagens do WordPress

%d blogueiros gostam disto: