Assista a “Terra de Minas | 26/06/2021 Programa Completo” no YouTube

A vida no campo é saudável e apaixonante…eu amo 💖

Vamos passear por Minas Gerais? Conhecer paisagens, receitas e uma gente carinhosa e hospitaleira?

Terra de Minas por aqui!

imagens da internet

Fragmentos do dia…

Um pardal na janela, outro na estrada

A mente observa alerta, desperta

A abelha zoa, lá longe a chuva surge

O rastro do bicho, a centenária figueira

Um cafezinho passado, a nuvem,a poeira

Calçado jogado de lado, não gosto,nem quero

Garoa de novo,venta outra vez

Umidade vinda da lagoa…

Barulho só do bambuzal,dos passarinhos

Ou do boi teimoso no pasto

Olho mais de perto…uma capivara

Que a noite deixou o rastro

Revoada de periquitos,um lagarto

Espera, já volto…

Que coisa linda, mais uma foto

Fragmentos de um dia ideal

Caminhada no final da tarde…

As delícias do solzinho matinal

Nada de luxo,nada de pressa

Vivendo no ritmo e no tempo da Terra .

imagens do arquivo pessoal

Telescópio espacial James Webb, da Nasa, deve ser lançado em dezembro

O Telescópio Espacial Hubble, da Nasa, foi lançado três décadas atrás. Ele contribuiu e continua contribuindo para a astronomia, mas já não é o satélite mais moderno da agência. No dia 18 de dezembro, à bordo do foguete Ariane 5 da Agência Espacial Europeia (ESA), deve ir ao céu seu sucessor: o Telescópio Espacial James Webb (JWST), que promete enxergar mais longe do que o Hubble. 

O projeto do James Webb, que recebe o nome de um ex-administrador da Nasa, não é recente. Ele foi idealizado em 1996 e, desde então, recebeu um investimento de US$ 10 bilhões. A equipe por trás do novo observatório soma 1.200 pessoas, entre cientistas, técnicos e engenheiros de 14 países. 

Como será capaz de enxergar muito longe, o telescópio irá investigar eventos que aconteceram 13,6 bilhões de anos atrás, chegando à formação das primeiras estrelas e galáxias, que surgiram 100 a 250 milhões de anos após o Big Bang. A luz de objetos nessa parte distante do universo é desviada para o vermelho, sendo necessários telescópios infravermelhos para observá-los. O JSWT tem essa capacidade, enquanto o Hubble observa principalmente a luz ultravioleta e elemento

O novo observatório, que ficará localizado a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, deve ajudar os astrônomos a compreender a formação das primeiras estrelas e galáxias do universo.

Telescópio espacial James Webb, da Nasa, deve ser lançado em dezembro

publicado originalmente em superinteressante

Entardecer…por Fagundes Varela

“Serão os gênios da tarde
Que passam sobre as campinas,
Cingido o colo de opalas

E a cabeça de neblinas,
E fogem, nas harpas de ouro
Mensagens a dedilhar?

São os sabiás que cantam…
Não vês o sol declinar?

Ou serão talvez as preces
De algum sonhador proscrito,
Que vagueia nos desertos,
Pedindo a Deus um consolo
Que o mundo não pode dar?”

🌻✨ Fagundes Varela

imagens do Pinterest

Fóssil “estranho” de anquilossauro mais antigo conhecido intriga paleontólogos

Um fóssil encontrado na cordilheira do Atlas, em Marrocos, pertenceu ao mais antigo – e estranho – anquilossauro descoberto até agora. As costelas desse dino são tão incomuns que os paleontólogos que se dedicaram ao seu estudo pensaram, a princípio, que poderiam ser falsificações: há uma série de espinhos de queratina (como os chifres de um rinoceronte) se projetando a partir dos ossos.

Sabe-se que os anquilossauros eram herbívoros e tinham o corpo envolto por uma carcaça bastante rígida, protegida por extremidades afiadas. Eram tanques de guerra pré-históricos movidos a mato e blindados contra carnívoros. Os fósseis encontrados até hoje exibiam pontas incorporadas apenas à pele do animal. Este anquilossairo é o primeiro a apresentá-las fundidas ao esqueleto.

Encontrada na Cordilheira do Atlas, em Marrocos, essa costela de anquilossauro tem 168 milhões de anos e possui espinhos de queratina fundidos ao osso, uma característica inédita no registro fóssil.

Fóssil “estranho” de anquilossauro mais antigo conhecido intriga paleontólogos

publicado originalmente em superinteressante