Assista a “Repórter Eco | 12/06/2022” no YouTube

Natureza, meio ambiente e ativismo.

Repórter Eco aqui!

imagens do WordPress

Assista a “Ouro de Sangue: para onde vai o ouro ilegal garimpado na Amazônia?” no YouTube

A barbárie não têm limites. A ganância também não.

No Brasil de 2022 o Governo Bolsonaro trata com negligência e descaso a destruição da Amazônia, e com desdém o desespero dos indígenas.

A Mãe Terra pede socorro.

BBC NEWS aqui!

imagens do WordPress

Para manter o aumento de temperaturas em até 1,5ºC, emissões devem atingir o pico em três anos

Por Maria Clara Rossini

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) publicou ontem (4) a terceira edição do sexto relatório que avalia as mudanças no clima do planeta – e o que devemos fazer para mitigá-las. O documento foi elaborado por 270 autores, de 65 países. Segundo eles, ainda é possível manter o aumento de temperatura global em até 1,5ºC – mas para isso, precisaríamos atingir o pico de emissões de gases do efeito estufa em três anos.

A temperatura do planeta já aumentou 1,1ºC desde 1900. Para evitar uma catástrofe climática, é necessário que esse aumento atinja, no máximo, 1,5ºC. O relatório concluiu que o mundo teria condições de atingir o pico de emissões em 2025. Em 2030, elas deveriam voltar aos níveis de 2019.

Outra meta que precisa ser atingida para não passar dos 1,5ºC é a redução do uso de outros combustíveis fósseis. O uso de carvão deve cair 95% até 2050, o de óleo deve cair 60% e o de gás em 45%.

Considerando os pareceres dos relatórios do IPCC e a reunião da COP26, que ocorreu em novembro de 2021, sabemos que é possível limitar o aumento de temperatura em até 1,5ºC – mas é improvável. A meta demandaria esforços políticos imediatos, além de gastos financeiros que poucos governos estão dispostos a pagar. Para atingir o objetivo, seria necessário gastar 2,3 bilhões de dólares anualmente no setor da eletricidade.

O relatório também apontou que apenas 10% das residências são responsáveis por 34% a 45% das emissões de gases do efeito estufa domésticos. Além dos esforços governamentais para reduzir emissões, os pesquisadores propõem mudanças nos comportamentos individuais, como usar veículos elétricos, adotar o teletrabalho, fazer mudanças na dieta e reduzir as viagens de avião. Isso poderia reduzir as emissões de gases entre 40% e 70% até 2050.

Essa é uma das conclusões do relatório mais recente do IPCC. Segundo os pesquisadores, 10% das residências são responsáveis por 45% das emissões de carbono

Para manter o aumento de temperaturas em até 1,5ºC, emissões devem atingir o pico em três anos

publicado em superinteressante

«Os garimpeiros estão destruindo os nossos rios, nossa floresta e nossas crianças. Nosso ar não é mais puro, nossas caças desapareçam e nosso povo chora e clama por água limpa. Queremos viver, queremos nossa paz de volta e nosso Território.»

Criança Yanomami brincando no rio foto: Barbara Crane Navarro

«Meus avós pescavam neste rio para alimentar a comunidade. Agora é tudo contaminação por lodo, gasolina, diesel e mercúrio. Os peixes estão morrendo e nossa terra Yanomami está morrendo. Nós Yanomami estamos sofrendo, não temos paz. Os garimpeiros destroem nossas casas (Yanopë), destroem nossa floresta (Urihi), destroem […]

«Os garimpeiros estão destruindo os nossos rios, nossa floresta e nossas crianças. Nosso ar não é mais puro, nossas caças desapareçam e nosso povo chora e clama por água limpa. Queremos viver, queremos nossa paz de volta e nosso Território.»

publicado em Bárbara Crane Navarro

%d blogueiros gostam disto: