Assista a “Renato Russo – La Solitudine” no YouTube

🌹La Solitudine

Marco se n’è andato e non ritorna più
Il treno delle sette e trenta senza lui
È un cuore di metallo senza l’anima
Nel freddo del mattino grigio di città

A scuola il banco è vuoto, Marco è dentro me
È dolce il suo respiro fra i pensieri miei
Distanze enormi sembrano dividerci
Ma il cuore batte forte dentro me

Chissà se tu mi penserai
Se con i tuoi non parli mai
Se ti nascondi come me
Sfuggi gli sguardi e te ne stai

Rinchiuso in camera e non vuoi mangiare
Stringi forte al te il cuscino e
Piangi e non lo sai
Quanto altro male ti farà la solitudine…

Marco nel mio diario ho una fotografia
Hai gli occhi di bambino un poco timido
La stringo forte al cuore e sento che ci sei
Fra i compiti d’inglese e matematica

Tuo padre e i suoi consigli che monotonia
Lui con il suo lavoro ti ha portato via
Di certo il tuo parere non l’ha chiesto mai
Ha detto: “un giorno tu mi capirai…”

Chissà se tu mi penserai
Se con gli amici parlerai
Per non soffrire più per me
Ma non è facile lo sai

A scuola non ne posso più
E i pomeriggi senza te
Studiare è inutile tutte le idee
Si affollano su te

Non è possibile dividere
La vita di noi due
Ti prego aspettami amore mio
Ma illuderti non so

La solitudine fra noi
Questo silenzio dentro me
È l’inquietudine di vivere
La vita senza te

Ti prego aspettami perché
Non posso stare senza te
Non è possibile dividere
La storia di noi due

La solitudine fra noi
Questo silenzio dentro me
È l’inquietudine di vivere
La vita senza te

Ti prego aspettami perché
Non posso stare senza te
Non è possibile dividere
La storia di noi due
La solitudine…

🌹Fonte: Musixmatch

Compositores: Federico Cavalli / Pietro Cremonesi / Arcangelo Valsiglo

Letra de La Solitudine © Cappuccino Ed. Musicali S.n.c., Universal Music Italia Srl., Fonit Cetra Music Publishing Srl, Blue Team Music Ed. Musicali Srl.

imagens do WordPress

Assista a “Capital Inicial Veraneio vascaina MTV acústico” no YouTube

Veraneio Vascaína 🚔

Cuidado, pessoal, lá vem vindo a Veraneio

Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho

Com números do lado, dentro dois ou três tarados

Assassinos armados, uniformizados

Veraneio Vascaína

Vem dobrando a esquina

Porque pobre quando nasce com instinto assassino

Sabe o que vai ser quando crescer desde menino

Ladrão pra roubar, marginal pra matar

Papai, eu quero ser policial quando eu crescer

Cuidado, pessoal, lá vem vindo a Veraneio

Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho

Com números do lado, dentro dois ou três tarados

Assassinos armados, uniformizados

Veraneio Vascaína
Vem dobrando a esquina

Se é eles vem fogo em cima, é melhor sair da briga

Tanto faz, ninguém se importa se você é inocente

Com uma arma na mão eu boto fogo no país

E não vai ter problema, eu sei, estou do lado da lei

Cuidado, pessoal, lá vem vindo a veraneio

Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho

Com números do lado, dentro dois ou três tarados

Assassinos armados, uniformizados

Veraneio Vascaína

Vem dobrando a esquinaVeraneio Vascaína

Vem dobrando a esquinaVeraneio Vascaína

Vem dobrando a esquina

Eu quero ver!

🚔

Fonte: Musixmatch

Compositores: Renato Manfredini Junior / Flavio Miguel Vilar De Lemos

Letra de Veraneio vascaína © Edicoes Musicais Tapajos Ltda

imagem da internet

Assista a “Capital Inicial- Fátima ( Acústico MTV ).” no YouTube

Fátima 🌹

Vocês esperam uma intervenção divina
Mas não sabem que o tempo agora está contra vocês
Vocês se perdem no meio de tanto medo
De não conseguir dinheiro pra comprar sem se vender
E vocês armam seus esquemas ilusórios
Continuam só fingindo que o mundo ninguém fez
Mas acontece que tudo tem começo
Se começa, um dia acaba, eu tenho pena de vocês

E as ameaças de ataque nuclear
Bombas de nêutrons não foi Deus quem fez
Alguém, alguém um dia vai se vingar
Vocês são vermes, pensam que são reis
Não quero ser como vocês
Eu não preciso mais
Eu já sei o que eu tenho que saber
E agora tanto faz

Três crianças sem dinheiro e sem moral
Não ouviram a voz suave que era uma lágrima
E se esqueceram de avisar pra todo mundo
Ela talvez tivesse um nome e era: Fátima
E de repente o vinho virou água
E a ferida não cicatrizou
E o limpo se sujou
E no terceiro dia ninguém ressuscitou

✨✨Composição: Renato Russo

fotos divulgação