Variante Delta reforça a importância do uso correto de máscaras

A necessidade de usar corretamente as máscaras é reafirmada com a chegada da variante Delta do coronavírus, que pode ser até 40% mais transmissível do que a Alfa, segundo estudos. Para se proteger dela, o ideal é optar pelo modelo PFF2 (ou N95), principalmente em situações de maior risco. Mas é possível criar estratégias com o que se tem na mão – seguindo algumas regrinhas básicas de segurança.

“A Delta é mais eficiente em infectar pessoas. Ou seja, não é preciso ter uma grande quantidade de vírus no ar para alcançar alguém, e uma pessoa contaminada pode levar a doença a mais gente”, explica Carlos R. Zárate-Bladés, pesquisador do Laboratório de Imunorregulação do centro de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Santa Catarina.

A alta capacidade de filtragem da PFF2 faz dela a preferida entre os especialistas, mas utilizar os demais modelos de forma adequada também é eficiente

Variante Delta reforça a importância do uso correto de máscaras

publicado originalmente em Veja saúde

Por que usar máscaras mesmo após a segunda dose da vacina

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro contestou a obrigatoriedade do uso de máscara por pessoas que se vacinaram contra o coronavírus ou que já contraíram a Covid-19. Após a declaração, profissionais da saúde criticaram a fala do presidente, informando que ainda não é seguro abandonar o acessório.

De acordo com a infectologista Raquel Stucchi, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), há três principais motivos para continuar vestindo a máscara mesmo após receber a segunda dose do imunizante.

Entenda os motivos para manter o acessório no rosto depois da imunização contra a Covid-19 e quando poderemos abandoná-lo

Por que usar máscaras mesmo após a segunda dose da vacina

publicado originalmente em Veja saúde

Covid-19: estudo avalia filtragem de diferentes tipos de máscara

Máscaras são uma das formas mais eficazes de evitar o coronavírus. Pois uma pesquisa investigou o potencial de diferentes tipos (da PFF2/N95 às de pano).

A transmissão do coronavírus se dá principalmente pela inalação de gotículas de saliva e secreções respiratórias suspensas no ar. Daí porque usar máscaras e manter o distanciamento físico são as formas mais eficazes de prevenir a Covid-19, enquanto não há vacina para todos. Baratas, reutilizáveis e disponíveis em diversas cores e estampas, as máscaras de tecido estão entre as mais usadas pelos brasileiros. 

Covid-19: estudo avalia filtragem de diferentes tipos de máscara

publicado originalmente em Veja saúde

Covid-19: Descarte inadequado de máscaras e luvas está prejudicando vida selvagem

Pesquisa reúne casos de animais que ingeriram ou ficaram presos em EPIs (equipamentos de proteção individual) – incluindo um pinguim encontrado morto no litoral do Brasil.

Covid-19: Descarte inadequado de máscaras e luvas está prejudicando vida selvagem

publicado originalmente em superinteressante