O Rio e o Oceano…por Osho

“Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas,o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência.

Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece.
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é
renascimento.


Assim somos nós.
Só podemos ir em frente e arriscar.
Coragem! Avance firme e torne-se Oceano! “

🌷Osho

imagens do WordPress

Assista a “Chico Buarque – “Paratodos” – Chico: Artista Brasileiro” no YouTube

Paratodos 🌹

O meu pai era paulista

Meu avô, pernambucano

O meu bisavô, mineiro

Meu tataravô, baiano

Meu maestro soberano

Foi Antonio Brasileiro

Foi Antonio Brasileiro

Quem soprou esta toada

Que cobri de redondilhas

Pra seguir minha jornada

E com a vista enevoada

Ver o inferno e maravilhas

Nessas tortuosas trilhas

A viola me redime

Creia, ilustre cavalheiro

Contra fel, moléstia, crime

Use Dorival Caymmi

Vá de Jackson do Pandeiro

Vi cidades, vi dinheiro

Bandoleiros, vi hospícios

Moças feito passarinho

Avoando de edifícios

Fume Ary, cheire Vinícius

Beba Nelson Cavaquinho

Para um coração mesquinho

Contra a solidão agreste

Luiz Gonzaga é tiro certo

Pixinguinha é inconteste

Tome Noel, Cartola, Orestes

Caetano e João Gilberto

Viva Erasmo, Ben, Roberto

Gil e Hermeto, palmas para

Todos os instrumentistas

Salve Edu, Bituca, Nara

Gal, Bethania, Rita, Clara

Evoé, jovens a vista

O meu pai era paulista

Meu avô pernambucano

O meu bisavô, mineiro

Meu tataravô baiano

Vou na estrada há muitos anos

Sou um artista brasileiro

🌹Fonte: Musixmatch

Compositor : Francisco Buarque De Hollanda

imagens do WordPress

Melancólica…por Mágica Mistura

Sou muito otimista

Sempre fui

Sagitariana que sou

Acredito no bom,no belo

No mágico,no fantástico

Creio na alegria,na bondade

No futuro,na verdade

Também sou irônica…

Tropeço meu,

Vou tentando melhorar

Mas, melancólica… não

Nunca fui

Peço aos céus que não seja

Não, não aceito

Desanimar, desistir,abater

Entristecer-me como não?!

Me preocupar,como escapo?!

Dói-me tanto

Esse desrespeito,o descaso…

Me esconder não vou,

Escrevo como um desabafo

Tento arrancar da alma

Tiro do coração um alento

Para ajudar de alguma forma

Quem me lê

A ter uma Luz,um apoio

Para atravessar esses tempos …

Gratidão 🙏✨

imagens do WordPress

Racismo contra povos indígenas é histórico, cultural, estrutural e permanente — B@ú dos Pymenta´s — Barbara Crane Navarro

A diferença do racismo contra os indígenas é que são o único grupo social a quem se pode dirigir na esfera pública propondo o extermínio da sua condição especial. A questão aqui não é de quantidades, mas de um modelo insuportável de racismo que sobrevive e justifica a ofensiva anti-indígena mais intensa desde a época […] […]

Racismo contra povos indígenas é histórico, cultural, estrutural e permanente — B@ú dos Pymenta´s — Barbara Crane Navarro

publicado em Tinylife

%d blogueiros gostam disto: