Frio pode contribuir para ocorrência de infarto, alertam especialistas

Dias mais frios podem contribuir para a ocorrência de infarto em pacientes que apresentam fatores de risco, como aqueles que têm lesões nas coronárias ou são hipertensos.

A cardiologista Rica Buchler, diretora de reabilitação cardíaca do Instituto Dante Pazzanese, em São Paulo, alerta que o acompanhamento médico e o controle de condições preexistentes podem reduzir os riscos.

Ela explica que, no frio, na tentativa de manter a temperatura do corpo, os vasos sanguíneos se contraem, diminuindo de diâmetro. É a chamada vasoconstrição. “Essa situação pode levar ao infarto e piorar a hipertensão em pacientes com predisposição”, acrescenta.

O ideal é evitar se expor a mudanças muito bruscas de temperatura e estar em dia com o acompanhamento médico

Frio pode contribuir para ocorrência de infarto, alertam especialistas

publicado originalmente em Veja saúde

Guia reúne dicas para sensibilizar empresas sobre casos de depressão

O trabalho é o lugar em que a gente passa a maior parte do tempo e, ainda bem, tem crescido a preocupação em cuidar da depressão nesse ambiente. Afinal, ignorar os sinais e não buscar o tratamento dessa doença pode causar a piora do quadro – e casos graves aumentam o risco até de suicídio.

Para ter ideia, um em cada cinco brasileiros acaba pedindo pensão por invalidez por causa de transtornos mentais. O impacto disso pesa inclusive no bolso: o Brasil é o segundo país com maior perda financeira ligada à depressão no serviço. São US$ 63,3 bilhões (mais de R$ 37 trilhões), segundo estudo de 2016 da London School of Economics – ficamos atrás apenas dos Estados Unidos. 

A depressão é a principal causa médica de incapacitação. Guia pretende reduzir o preconceito sobre a doença no trabalho e facilitar a busca por ajuda

Guia reúne dicas para sensibilizar empresas sobre casos de depressão

publicado originalmente em Veja saúde

Julho amarelo: diagnóstico de hepatite C cai pela metade na pandemia

O número de testes e tratamentos realizados contra a hepatite C caiu entre 40 e 50% durante a pandemia de coronavírus. O alerta é feito pelo Instituto Brasileiro de Estudos do Fígado (Ibrafig), que lançou recentemente uma campanha de conscientização sobre as hepatites virais.

A iniciativa, batizada de “Não vamos deixar ninguém para trás”, visa incentivar o diagnóstico e tratamento de portadores dos tipos B e C da doença. Seu objetivo é reverter os prejuízos causados pela chegada da Covid-19.

No mês da conscientização das hepatites virais, entidade lança campanha para população voltar a fazer teste rápido e tratamento. Saiba mais sobre a doença

Julho amarelo: diagnóstico de hepatite C cai pela metade na pandemia

publicado originalmente em Veja saúde

Três novidades no combate ao câncer de próstata

câncer de próstata é o segundo tipo da doença mais comum entre os homens no Brasil, com 65 mil novos diagnósticos ao ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). E, tirando o câncer de pulmão, esse é o que mais causa mortes entre a população masculina do mundo.

Só no Brasil, estima-se que a doença faça 15 mil vítimas anualmente. Felizmente, estão surgindo inovações para ajudar a combater o problema e reduzir esses números.

“Com novos tratamentos, damos oportunidades para indivíduos com casos mais avançados e, além disso, muito está sendo feito para avaliar melhor a enfermidade em seu início”, destaca a médica especialista em Medicina Nuclear Camila Mosci, coordenadora da Medicina Nuclear do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo.

Conheça inovações que trazem esperança no diagnóstico e tratamento de um dos tumores mais comuns e mais perigosos para os homens

Três novidades no combate ao câncer de próstata

publicado originalmente em Veja saúde

Por que você deve reduzir a carne vermelha se quiser ter mais saúde

Embora o consumo de carne tenha caído cerca de 1,4 quilo per capita em 2020 no Brasil, sempre fomos conhecidos mundo afora pelo nosso apreço pela carne vermelha. Cortes de vaca, porco, cordeiro e vitela, por exemplo, são, de fato, ricos em proteínas, vitaminas, ferro e zinco. No entanto, o consumo em excesso, sobretudo de carnes processadas (salsicha, linguiça e bacon), tem sido associado ao aparecimento de doenças comuns. Fazem parte da lista diabetes, problemas cardíacos, AVC e câncer. No caso dos tumores, discute-se cada vez mais a influência da carne vermelha, principalmente (de novo!) a processada, no crescimento de bactérias patogênicas na microbiota intestinal. Isso pode alterar o equilíbrio da nossa “flora” e aumentar a propensão ao câncer de cólon

Há uma soma robusta de evidências mostrando que maneirar na cota de carne ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, câncer e até demência

Por que você deve reduzir a carne vermelha se quiser ter mais saúde

publicado originalmente em Veja saúde

Formigamento, pontada ou dormência? Fique de olho!

Sensibilidade alterada, dor, formigamento e dormência nas mãos e nos pés. Quem nunca passou por isso? Exatamente por serem sintomas tão comuns, normalmente são encarados como algo corriqueiro. Entretanto, em alguns casos, eles podem ser sinais de neuropatia periférica, doença que atinge os nervos que vão para os membros. O problema pode ainda desencadear diminuição na sensibilidade, falta de força muscular, dor e sensação de queimação nessas partes do corpo.

“A enfermidade pode acontecer por diversas causas, como envelhecimento, diabetes, síndrome metabólica, herpes-zoster, falta de vitaminas, em especial as do complexo B, aids e até Covid-19”, conta Rames Mattar Jr., doutor em ortopedia e traumatologia e professor-associado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Entenda o que é neuropatia periférica, uma doença que pode causar danos permanentes nos nervos

Formigamento, pontada ou dormência? Fique de olho!

publicado originalmente em Veja saúde

Coração artificial: resultados promissores contra insuficiência cardíaca

Um coração artificial ainda em testes iniciais poderia conferir mais autonomia para pessoas com casos graves de insuficiência cardíaca. O dispositivo possui um mecanismo de autorregulação que se adapta ao dia a dia do paciente e exigiria menos ajustes e idas a centros médicos ao longo do tempo.

Equipamento aumentaria a independência e a qualidade de vida de pacientes com estágio avançado desse problema no coração, segundo estudo

Coração artificial: resultados promissores contra insuficiência cardíaca

publicado originalmente em Veja saúde

Zoom: a mesa está posta

A toalha felpuda aí em cima aguarda a refeição. Pois os pontinhos que, em conjunto, dão essa aparência delicada ao tecido são as microvilosidades do intestino delgado. Graças a bilhões de estruturas como essas, conseguimos absorver os nutrientes que passam pelo aparelho digestivo. E, de minúsculo grão em minúsculo grão, nos mantemos de pé até a próxima refeição.

O retrato microscópico do tecido que reveste nosso intestino delgado e nos permite absorver os nutrientes das refeições

Zoom: a mesa está posta

publicado originalmente em Veja saúde