Assista a “Arroz cremoso em 10 minutos! Como preparar delicioso e rápido!” no YouTube

Culinária e charme?

Temos sim.

Paola Carosella aqui!

imagens do WordPress

Amanhecer de Ilusões… por Mágica Mistura

RAIO DE SOL INVADINDO

MEU MUNDO,MEU RISO…MEU TUDO

LOUCO RESPIRAR DO UNIVERSO…IMERSO

IMERSO EM LUZES,NAVEGA NA IMENSIDÃO

NOSSO MUNDO…

TÃO AZUL…TÃO LÚDICO

ESPERO QUE PERMANEÇA ESTA LUZ…

ILUMINA UM PEDAÇO DA VIDA

FAZ FLUIR A ESPERANÇA DE QUE UM DIA

TUDO SE TRANSFORME EM POESIA

DEMOCRÁTICA,HERÉTICA,DECRÉPITA…

COMO VENHA

BEM VINDA ,BENDITA SEJA!

AMANHECER DE ILUSÕES…

NEM ME IMPORTO

GOSTO DE SONHAR…VIAJAR NA MAGIA

E TALVEZ…SOMENTE TALVEZ,UM DIA…

TUDO E TODOS,

SEJAM UM TOTAL AMANHECER

NESTE UNIVERSO

INFINITO,SANTO,LOUCO,MÁGICO…

HUMANO✨✨✨

imagens do WordPress

Pensar muito realmente cansa o cérebro

Por Bruno Garattoni

Não é frescura ou impressão; é um fenômeno fisiológico real. E acontece porque, quando fazemos muito esforço cognitivo, há um acúmulo do neurotransmissor glutamato no córtex pré-frontal, a região cerebral responsável pelo raciocínio.

Foi o que descobriu um grupo de cientistas franceses, que monitorou os cérebros de 40 voluntários (1) enquanto eles realizavam versões fáceis ou difíceis do mesmo teste (o voluntário via uma sequência de letras exibidas em uma tela, e tinha de dizer se cada uma era vogal ou consoante, maiúscula ou minúscula e se estava na cor verde ou vermelha).

Os pesquisadores usaram uma técnica chamada espectroscopia por ressonância magnética para observar o fluxo do glutamato – e constararam que, quando as pessoas faziam muitas tarefas difíceis, esse neurotransmissor acabava saturando as sinapses (conexões entre os neurônios).

Fonte 1. A neuro-metabolic account of why daylong cognitive work alters the control of economic decisions. A Wiehler e outros, 2022.

Estudo revela que fazer muito esforço mental satura o cérebro com um neurotransmissor. Entenda

Pensar muito realmente cansa o cérebro

Orcas atacam barcos na Europa

Por Bruno Garattoni

Esses animais, que são conhecidos como “baleias assassinas” mas na verdade pertencem à família dos golfinhos, atacaram barcos nas costas da França e de Portugal – onde as orcas chegaram a afundar uma embarcação com cinco ocupantes, que foram resgatados a tempo.

Em maio, elas já haviam danificado barcos no estreito de Gibraltar, que liga o Mar Mediterrâneo ao Oceano Atlântico.

Os ataques têm ocorrido contra veleiros (que costumam navegar com o motor desligado e não fazem barulho, que normalmente espantaria as orcas) e barcos de pesca.

Animais têm ido atrás de veleiros e barcos de pesca – e chegaram a afundar uma embarcação com cinco pessoas

Orcas atacam barcos na Europa

publicado em superinteressante

%d blogueiros gostam disto: