Lixo espacial cai em fazenda australiana

Moradores do estado australiano de Nova Gales do Sul encontraram três grandes pedaços de detritos espaciais caídos numa fazenda, um deles com 3 metros de comprimento. 

Brad Tucker, um astrofísico que inspecionou os destroços, afirmou que provavelmente se tratam de fragmentos de uma cápsula SpaceX Dragon usada durante a missão Crew-1, em 2020. Alguns dos fragmentos tinham até números de série.

Os cientistas já sabiam que pedaços da Dragon poderiam cair na área por volta do início de julho. Os fragmentos encontrados também estavam na trajetória estimada para a carcaça, afirma o astrônomo Jonathan McDowell.

O criador de ovelhas Mick Miners descobriu o objeto de 3 metros de altura em seu campo em 25 de julho, como conta à Australian Broadcasting Corporation. Seu vizinho também havia encontrado detritos em seu campo na semana anterior, e as pessoas na área também relataram ter ouvido um estrondo alto no dia 9 – provavelmente da cápsula caindo no chão.

Um dos detritos encontrados por moradores da região. As marcas de queimado vem da alta temperatura atingida durante a reentrada na atmosfera.

A Agência Espacial Australiana e a polícia de Nova Gales do Sul estão investigando os objetos para confirmar sua conexão com voos espaciais. “Eventualmente a SpaceX, ou pelo menos os EUA, terão que fazer uma declaração dizendo se querem ficar com eles ou não”, diz Tucker.

Agricultores australianos encontraram detritos espaciais espalhados por seus campos – acredita-se que vieram de um voo da SpaceX.

Lixo espacial cai em fazenda australiana

publicado em superinteressante

Arraias são gravadas fazendo sons pela primeira vez no meio ambiente

Cientistas já registraram mais de novecentas espécies de peixes ósseos produzindo sons. Mas os cartilaginosos, como tubarões e arraias, se mantinham em silêncio diante das câmeras. Até agora.

Pesquisadores da Universidade Sueca de Ciências Agrárias e de instituições australianas registraram, pela primeira vez, arraias fazendo sons no meio ambiente. Os vídeos foram gravados durante mergulhos na Austrália e Indonésia entre 2017 e 2018, e você pode conferir um deles abaixo:

As arraias flagradas fazendo sons de clique são das espécies Urogymnus granulatus e Pastinachus ater. O momento raro foi descrito em um estudo publicado na revista Ecology, em julho. O que mais intriga os cientistas é que estes animais não têm cordas vocais – e não se sabe qual mecanismo está por trás da produção do som. Mas há algumas hipóteses.

Não se sabe ao certo como as arraias, que não têm cordas vocais, produzem os cliques. Confira hipóteses – e assista ao vídeo.

Arraias são gravadas fazendo sons pela primeira vez no meio ambiente

publicado em superinteressante

%d blogueiros gostam disto: