Assista a “Enya – Orinoco Flow (Official 4K Music Video)” no YouTube

🏞️Orinoco Flow

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

De Bissau a Palau, à sombra de Avalon
From Bissau to Palau, in the shade of Avalon

De Fiji a Tyree e as Ilhas de Ebony
From Fiji to Tyree and the Isles of Ebony

Do Peru a Cebu ouça o poder da Babilônia
From Peru to Cebu hear the power of Babylon

De Bali a Cali, bem abaixo do Mar de Coral
From Bali to Cali, far beneath the Coral Sea

Aumenta, aumenta, aumenta, aumenta, adeus.
Turn it up, turn it up, turn it up, up, adieu.

Ooh Ooh
Ooh ooh

Aumenta, aumenta, aumenta, aumenta, adeus.
Turn it up, turn it up, turn it up, up, adieu.

Ooh Ooh
Ooh ooh

Aumenta, aumenta, aumenta, aumenta, adeus.
Turn it up, turn it up, turn it up, up, adieu.

Oh
OhNavegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

De Norte a Sul, Ebudæ em Cartum
From the North to the South, Ebudæ into Khartoum

Do mar profundo de Nuvens à ilha da lua
From the deep sea of Clouds to the island of the moon

Leve-me nas ondas para as terras que nunca estive
Carry me on the waves to the lands I’ve never been

Leve-me nas ondas para terras que eu nunca vi
Carry me on the waves to the lands I’ve never seen

Podemos navegar, podemos navegar com o Orinoco Flow
We can sail, we can sail with the Orinoco Flow

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

Podemos orientar, podemos nos aproximar
We can steer, we can near

Com Rob Dickins ao volante
With Rob Dickins at the wheel

Podemos suspirar, dizer adeus Ross e suas dependências
We can sigh, say goodbye Ross and his dependencies

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

Podemos alcançar, podemos encalhar
We can reach, we can beach

Na costa de Trípoli
On the shores of Tripoli

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

De Bali a Cali, bem abaixo do Mar de Coral
From Bali to Cali, far beneath the Coral Sea

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

De Bissau a Palau, à sombra de Avalon
From Bissau to Palau, in the shade of Avalon

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

Podemos alcançar, podemos encalhar
We can reach, we can beach

Muito além do Mar Amarelo
Far beyond the Yellow Sea

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

Do Peru a Cebu ouça o poder da Babilônia
From Peru to Cebu hear the power of Babylon

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

(Navegar para longe, navegar para longe, navegar para longe)
(Sail away, sail away, sail away)

Podemos navegar, podemos navegar
We can sail, we can sail

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

Navegue para longe, navegue para longe, navegue para longe
Sail away, sail away, sail away

🦋Fonte: LyricFind

Compositores: Eithne Ni Bhraonain / Nicky Ryan / Roma Ryan

Letra de Orinoco Flow © Sony/ATV Music Publishing LLC, BMG Rights Management

imagens do WordPress

Assista a “Madre Terra – Deuses a Dançar ” no YouTube

🦋 Deuses a Dançar

Deus criou a Vida nessa dança circular
Deus criou a Vida e a Vida gira sem parar

Pisa no chão, deixa a terra te curar
Voe pelo Céu, sinta a Força de Oxalá
Carregado de Amor, vem cumprindo sua missão
Seguindo seu caminho e ajudando seu Irmão

No sopro do Vento, recorte no Tempo
Os nossos extremos vão se encontrar!
Caminho natural, caminho do Amor
Livres pra poder sonhar!

Eu vejo Deuses a dançar, Deuses a dançar
Gira Natureza nessa dança circular


Eu vejo Deuses a dançar, Deuses a dançar
Gira Natureza na magia do Luar (2x)

Shiva Shambho, Shiva Shambho…

Nessa dança, baila Shiva
Dança Shiva, Shiva Hare Om

Dança Shiva, Shiva Nataraja
Baila Shiva, Shiva Hare Om

Transforme em cinzas todo meu sofrer
Bebe do veneno que vem do meu Ego
Eleve a minha mente ao puro Ser

Om Namah Shivaya, Om NamahShivaya

Shambho Shankara Namah Shivaya
Girija Shankara Namah Shivaya
Shambho Shankara Namah Shivaya

Girija Shankara Namah Shivaya

Shambho Shankara Namah Shivaya
Girija Shankara Namah Shivaya
Shambho Shankara Namah Shivaya, Arunachala Shiva Namah Shivaya!

Om Namah Shivaya, Om Namah Shivaya
Om Namah Shivaya, Om Namah…

Eu vejo Deuses a dançar…

Deus criou a Vida nessa dança circular
Deus criou a Vida e a Vida gira sem parar…

🦋Fonte: LyricFind

Composição :Beto Yamani / Rodolfo Mazzotta

imagens do WordPress

Doce Arlequim…por Mágica Mistura

Que na dança das Primaveras

Eu te veja

Te presinta…

Me envolva na alegria

Imaculada ,doentia

Quero  enlouquecer de felicidade

Provar a mais pura fantasia

Correr nos prados desta vida

Mais maluca, mais menina

Doce arlequim ,louco infante

Que tudo mais se perca

Menos minha hilária sede

De viver ,de beber da fonte

Seguro em tuas mãos

Teus cabelos ,tua vida

Embarco ao encontro de minha sorte

Nos mundos do Norte

Doce arlequim…

🌺✨

imagens do WordPress

Como um dinossauro brasileiro desencadeou um movimento para descolonizar a ciência fóssil

Um paleontólogo examina um fóssil de dinossauro do período Triássico (cerca de 250 milhões a 200 milhões de anos atrás) no Brasil. Crédito: Carl de Souza/AFP via Getty Por Mariana Lenharo e Meghie Rodrigues para a Nature Em dezembro de 2020, um artigo na revista Cretaceous Research enviou ondas de choque pela comunidade de paleontologia 1 . Descreveu uma espécie […]

Como um dinossauro brasileiro desencadeou um movimento para descolonizar a ciência fóssil

publicado em blog do pedlowski

Artrose: saiba como desemperrar de vez

“Todos nós, à medida que envelhecemos, podemos sofrer de artrose. A não ser, é claro, que você seja o Benjamin Button.” Quem diz isso, em tom de brincadeira, é o cirurgião ortopédico Marcos Cortelazo, da Rede D’Or São Luiz, em São Paulo. E faz todo o sentido! Escrito pelo americano F. Scott Fitzgerald (1896-1940), O Curioso Caso de Benjamin Button narra a história de um sujeito que nasce com 70 e poucos anos, cheio de rugas e cabelos brancos, e, a cada aniversário, fica um ano mais jovem. “Não sou tão velho quanto pareço”, repete o personagem, vivido por Brad Pitt na adaptação para o cinema. Artrose não é doença de velho — muito jogador de futebol e ginasta olímpico, entre outros atletas, encerraram a carreira por desgastes nos joelhos ou nos quadris —, mas, na maioria das vezes, é um processo lento e degenerativo que atinge as articulações com o avançar da idade. Começa por volta dos 50 anos e tende a se agravar após os 65 — dessa faixa em diante, 85% da população apresenta queixas. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a artrose, que os médicos preferem chamar de osteoartrite, afeta cerca de 12 milhões de brasileiros. Metade deles nem sabe que tem a condição, às vezes assintomática e tantas vezes motivo de dor, inchaço e deformidade nas juntas. +Leia Também: Dor, artrose, fratura: Doenças reumatológicas limitam a vida da mulher Quanto mais avançado o caso, mais comprometida fica a qualidade de vida — inclusive com restrição de movimentos e perda da autonomia. A pandemia não deixou de emperrar as coisas por aqui. Segundo pesquisa britânica com pessoas à espera de uma cirurgia para artrose de joelho, o índice de bem-estar delas piorou dramaticamente com as mudanças impostas pelo coronavírus. Enquanto isso, segundo uma análise brasileira de antes e depois da Covid-19, o número de artroplastias totais de joelho — procedimento em que a articulação é substituída por uma prótese — despencou mais de 60% no SUS. “Não houve um aumento no número de pessoas com artrose no período, mas muitos pacientes, em sua maioria idosos, deixaram de ir ao médico ou de fazer fisioterapia durante o isolamento social. Aí a doença descompensou”, analisa o reumatologista Ricardo Fuller, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador da Comissão de Osteoartrite da SBR. +Leia Também: Coma fibras para aplacar a artrose E outros dois fatores de risco para o desgaste articular se aproveitaram da situação: o sedentarismo e o ganho de peso. Tanto o esforço excessivo ou repetitivo como a falta de movimentação contribuem para as juntas chiarem. Embora não seja uma doença genética, a artrose ocorre mais em pessoas de uma mesma família e estorva principalmente o sexo feminino — na proporção de seis mulheres para quatro homens. De acordo com o reumatologista Fernando Henrique de Souza, do Hospital 9 de Julho, na capital paulista, aquelas acima de 50 anos e na menopausa são as que mais sofrem. E isso tem a ver com o fim da produção de hormônios como o estrogênio.

Conheça os termos mais usados quando se fala de juntas.[/caption] Toda e qualquer articulação, informam os médicos, está sujeita ao desgaste com o passar dos anos. São mais de 200 espalhadas pelo corpo — dos pés à cabeça, literalmente. Elas conectam um osso a outro (por vezes, vários deles) e permitem que o esqueleto se mexa. Qualquer movimento que você faz, do mais singelo ao mais sofisticado, recruta um sem-número de ossos, músculos, ligamentos, tendões e outras peças da articulação. As regiões mais vulneráveis são aquelas que aguentam carga, incluindo a do próprio corpo. 

Quase metade das pessoas que consultam o médico por incômodos nas juntas têm esse desgaste na articulação que causa dores e limita os movimentos. Entenda:

Artrose: saiba como desemperrar de vez

publicado em Veja saúde

%d blogueiros gostam disto: