Testes mostram que atual vacina da gripe protege contra H3N2 Darwin

Instituto Butantan, fabricante da vacina contra a gripe utilizada no Programa Nacional de Imunização (PNI) no país, informou que testes de laboratório mostraram que o imunizante é capaz de conferir proteção contra infecção pelo vírus influenza H3N2 Darwin, mesmo sem ter essa cepa específica na sua composição. A variante H3N2 Darwin é responsável pelo surto de gripe que atinge várias partes do país.

Segundo o diretor de produção do Instituto Butantan, Ricardo Oliveira, a vacina atual, trivalente, feita contra os vírus da influenza H1N1, H3N2 e B, protege contra a H3N2 Darwin de forma cruzada.

Ou seja, ela neutraliza essa variante em razão de ter em sua composição a proteção contra a cepa H3N2 original, “parecida” com a Darwin.

“Você tem um grau muito próximo de parentesco com a sua mãe, mas você é diferente dela. As cepas da influenza são parentes, têm mudanças na estrutura viral, nos aminoácidos, mas apresentam partes que são as mesmas”, explicou.

Oliveira ressaltou, no entanto, que a atual vacina proporciona uma proteção menor do que a de um imunizante fabricado especificamente contra a cepa H3N2 Darwin.

Cepa é a responsável por surto de gripe que atinge vários estados

Testes mostram que atual vacina da gripe protege contra H3N2 Darwin

publicado originalmente em Veja saúde

Assista a “Café (duplo) – A Cura (Ora pro Nobis)” no YouTube

A Cura 🍀

Invoque a chama azul
Trazendo a paz, tua proteção
A gente só fica doente
Porque se esquece da tal gratidão

Toda doença tem fonte na mente
Mas essa é mortal
Esquece que a gente é pra sempre
Que a essência tá acima do bem e do mal

Mesmo que alguém não entenda
Hoje viemos mostrar
Doença é a gente que inventa
E a gente é que pode sanar

Mesmo que alguém não entenda
Podemos regenerar
Pois sei que a corda arrebenta
Só se a luz apagar

Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra iluminar
Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra despertar

Laiá laiá
Laiá laiá

Invoque a chama azul
Trazendo a paz, tua proteção
A gente só fica doente
Porque se esquece da tal gratidão

Toda doença tem fonte na mente
Mas essa é mortal
Esquece que a gente é pra sempre
Que a essência tá acima do bem e do mal

Mesmo que alguém não entenda
Hoje viemos mostrar
Doença é a gente que inventa
E a gente é que pode sanar

Mesmo que alguém não entenda
Podemos regenerar
Pois sei que a corda arrebenta
Só se a luz apagar

Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra iluminar
Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra despertar

Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra iluminar
Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra despertar

Laiá laiá
Laiá laiá

Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Eu vou, eu vou, eu vou cantar

Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra iluminar
Eu vou, eu vou, eu vou cantar
Pra despertar

Pra iluminar

Pra despertar

🍀Fonte: Musixmatch

imagens do Pinterest

Algas no prato: elas são fontes de fibras e ainda têm ação antioxidante

Presentes nos sushis, pokes e outros pratos associados à culinária oriental, as algas ganharam espaço também na cozinha brasileira. Gelatinas e smoothies, por exemplo, podem contar com o ingrediente extra e os benefícios incluem maior proteção à pele e ao sistema imunológico, de acordo com Marcella Garcez, nutróloga e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Segundo a especialista, as algas são fonte de fibras e possuem ação antioxidante – capazes de proteger as células contra os efeitos dos radicais livres produzidos pelo organismo, e que são responsáveis pelo envelhecimento precoce e o desenvolvimento de algumas doenças.

Além disso, o alimento também atua no processo digestivo e mesmo na prevenção de doenças metabólicas.

Quanto comer?

Garcez explica que não há uma recomendação diária para o consumo das algas. No Japão, porém, elas representam 10% da dieta da população, segundo a especialista.

“Por aqui, elas podem ser consideradas mais uma fonte vegetal com propriedades e benefícios específicos”, ressalta.

Algas nutritivas

Os nutrientes encontrados nas algas são vários, e os principais são:

 Vitaminas do complexo B: responsáveis pela manutenção de diferentes sistemas, como o circulatório, nervoso e imunológico.
• Vitamina C: cuida da síntese do colágeno e é também antioxidante.
• Betacaroteno: pigmento natural e, quando ingerimos, é convertido em vitamina A, que cuida da visão, tecidos epiteliais e a imunidade.
• Ômega-3: gordura poli-insaturada, com ação na concentração, reflexos e memória.
• Ômega-6: encontrado também nos óleos de girassol e canola, auxilia no desenvolvimento celular.

O ingrediente já está presente na dieta do brasileiro, mas poucos conhecem sua importância para a saúde

Algas no prato: elas são fontes de fibras e ainda têm ação antioxidante

publicado originalmente em Veja saúde

Ideias…por Mágica Mistura

Um raio de sol aquece o coração

O mesmo que se derrete

Com o filhote de cão

Na cabeça ideias mil

Caminhar até Machu Picchu

Dormir numa rede no Acre

Subir a montanha mais alta

Catar conchas no Caribe

Remar até a Austrália

Conhecer de perto o aborígene

Cantar na igreja no Queens

Dançar na festa nordestina

Louvar no festival Hare Krishna

Peregrinar na Irlanda

Tantas coisas cabem em mim

Sou todas elas,

Na verdade as faço a todas

Sempre que fecho os olhos

Em um momento só meu

Minha alma realiza

Começa na imaginação…

Mágica Mistura

imagens do Pinterest

Risco à democracia nos EUA permanece

Este 6 de janeiro marca o primeiro aniversário de um dos episódios mais tristes – e perigosos – da história da democracia moderna. Foi quando uma massa de apoiadores do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, invadiu o Capitólio para tentar impedir que o Congresso americano certificasse a vitória de John Biden nas urnas. A turba de vândalos, com alguma condescendência da polícia, quebrou janelas, móveis, ameaçou violentamente congressistas e até o vice de Trump, Mike Pence. Os invasores se sentiram tão à vontade com a vista grossa dos agentes que deveriam detê-los que até tiraram selfies durante a ação. Isso até que houve conflito. E sete pessoas morreram em consequência do ataque.

Fato inédito na sólida democracia americana, a invasão foi encorajada pelo próprio Trump, que espalhava a mentira de que as eleições para presidente haveriam sido fraudadas, e que ele seria o verdadeiro vencedor. Os invasores, para a surpresa de ninguém, eram todos “trumpistas”.

Como se sabe, o ataque acabou sendo controlado, John Biden assumiu a Presidência, e o mundo civilizado respirou com alívio ao ver fora do Poder Executivo nos EUA um político de extrema-direita, xenófobo, misógino, simpático a grupos racistas, disseminador de fake news e negacionista da Covid (lembra alguém?). 

Jacob Chansley, que chamava atenção durante o ataque por usar um tipo de capacete coberto de pele de animal com chifres, foi sentenciado em novembro do ano passado a 41 meses de prisão. 

Mas, mais do que a cicatriz deixada na história americana, aquele ataque foi um marco de algo maior: um movimento antidemocrático que veio à tona com a eleição de Trump e continua colocando em risco instituições, cidadania, direitos das minorias, respeito ao resultado de eleições… todas as bases de que uma democracia depende para se manter viva. 

A mentalidade autoritária se espalhou pelo país mais poderoso do mundo como um vírus resistente a vacinas. De acordo com o Survey Center on American Life – uma organização sem fins lucrativos, dedicada a entender como as transformações políticas, tecnológicas e culturais estão mudando a vida do povo nos EUA –, 36% dos americanos acham que o tradicional american way of life está desaparecendo e que é válido “ter de usar a força” para salvá-lo. Um modo de pensar muito íntimo ao que tem se tornado o Partido Republicano desde Trump nos EUA. O Washington Post noticiou que 40% dos republicanos acreditam que uma ação violenta contra o próprio governo pode ser justificável. 

A invasão ao Capitólio completa um ano. Saiba como esse ataque fez parte de um movimento antidemocrático que ainda ameaça os americanos – e o Brasil também.

Risco à democracia nos EUA permanece

publicado originalmente em superinteressante