Assista a “Perguntas e Respostas sobre Resgate de Alma! | Xamanismo em Você #105” no YouTube

Todos os bons caminhos nos levam a bons resultados.

Um pouco do xamanismo com sua sabedoria ancestral…

Voz dos Elementos aqui!

imagens do Pinterest

O creme de avelã está no alvo

Recentemente, Jean-Luc Mélenchon, candidato à Presidência da França, fez uma declaração que ganhou as manchetes: ele disse que, se eleito, gostaria de banir um famoso creme de avelã do país. Isso porque, mais do que um reduto de açúcar, o produto é cheio de óleo de palma.

Para a nutricionista Maísa Antunes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), de fato o ingrediente merece críticas. Em primeiro lugar, o cultivo de palma ocorre às custas de muito desmatamento.

Depois, errar a mão no óleo ameaça nossa saúde. Em experiência com cobaias, Maísa notou que o consumo aumentou o colesterol, os triglicérides e a gordura no corpo de forma geral — com destaque para o fígado. “Para nós, apenas três colheres por dia já fariam mal”, revela a pesquisadora.

+ LEIA TAMBÉM: A verdade sobre os óleos

Você realmente lê o rótulo?

A gordura trans, outra vilã, foi banida e deve sair do mercado até 2023. Mas nem dá tempo de celebrar. “Já tem muito fabricante colocando o óleo de palma no lugar”, conta Maísa.

Ele pode surgir com nomes similares, como gordura de palma ou oleína de palma. Nunca deixe de ler a lista de ingredientes. “Se aparecer ‘gordura vegetal’, pode ser a trans clássica ou outro óleo modificado e prejudicial”, aponta a nutri.

Olho nelas

Algumas categorias em que o óleo de palma marca presença

  • Bolos prontos
  • Sorvetes de massa
  • Cookies
  • Pães integrais
  • Barrinhas de cereais
  • Granolas
  • Bombons
  • Biscoitos (inclusive com apelo fit)

Produto é fonte de óleo de palma, que pode ser prejudicial à saúde e ao ambiente

O creme de avelã está no alvo

publicado originalmente em Veja saúde

Lar…por Mágica Mistura

“Eles seguiram o caminho coberto de bruma e rodeado de velhos carvalhos. Quando deram por si, a Terra das Fadas já se destacava à sua frente, a neblina havia desaparecido e o que se via era o brilho do sol misturado ao mais colorido arco-íris que eles já tinham presenciado. De volta ao lar, finalmente.”

Mágica Mistura

imagens do Pinterest

Para entender (e potencializar) a memória

Lisa Genova é mais famosa por ter escrito Para Sempre Alice, livro que virou filme e rendeu um Oscar à atriz Julianne Moore por interpretar uma professora de linguística que é vítima de um terrível Alzheimer precoce.

Agora, a americana Ph.D. em neurociência lança Memória: A Ciência da Lembrança e a Arte do Esquecimento (HarperCollins), que disseca a formação e o funcionamento da memória. De forma extremamente didática, Lisa expõe os circuitos cerebrais que captam e consolidam as lembranças e os fatores que interferem na capacidade de reter (ou não) informações.

[abril-whatsapp][/abril-whatsapp]

Mais do que isso, ela nos mostra a importância de também esquecer — pela nossa sanidade mental e cognitiva —, distingue o que são lapsos normais de sinais de doenças como o Alzheimer e reúne os hábitos e comportamentos que realmente influenciam a memória e diminuem o risco de enfrentar um colapso futuro. Sim, tem muita coisa que a gente pode fazer a respeito.

Neurocientista esclarece como ela funciona e o que fazer para otimizá-la e preservá-la com o avançar dos anos

Para entender (e potencializar) a memória

publicado originalmente em Veja saúde

Obstrução intestinal pode matar?

“Eles estão aqui.” Essa frase curta está na 69ª posição do ranking do American Film Institute que relaciona os melhores diálogos da história do cinema. E é de um dos melhores filmes de terror de todos os tempos: Poltergeist: o Fenômeno (1982), escrito e produzido por Steven Spielberg. As palavras são ditas por uma menininha que se conecta com forças sobrenaturais por meio de um canal de TV fora de sintonia – até que é abduzida por fantasmas. 

O filme fez tanto sucesso que a atriz-mirim Heather O’Rourke interpretou essa personagem em duas sequências. Mas, antes que Poltergeist III: O capítulo final chegasse às telas, Heather morreu, aos 12 anos de idade. No dia 1º de fevereiro de 1988, a menina não conseguia engolir sua torrada no café da manhã, e sua mãe notou que os dedos da pequena estavam ficando azuis. Logo em seguida, Heather desmaiou no chão da cozinha. Já na ambulância, ela sofreria uma parada cardíaca e acabou morrendo na mesa de operação. 

A causa da morte precoce de Heather O’Rourke foi uma obstrução intestinal que ela já tinha há algum tempo, mas que foi mal diagnosticada. Os médicos confundiram com doença de Crohn, uma inflamação crônica que, se bem medicada, não leva a maiores consequências. Não era isso – e o erro médico custou a vida da pequena Heather. O nível da obstrução já era tão grave que provocou um choque séptico, que faria seu coração parar de bater.

Sim, caso que levou Bolsonaro a nova internação pode ter complicações e tirar a vida do paciente em questão de horas. Saiba quando o risco é sério.

Obstrução intestinal pode matar?

publicado originalmente em superinteressante

%d blogueiros gostam disto: