O que faríamos se um cometa estivesse em rota de colisão com a Terra?

Todo mundo já se perguntou o que aconteceria se um cometa (como aquele que matou os dinossauros) estivesse a caminho da Terra agora. A resposta curta é que a humanidade provavelmente seria extinta. A resposta longa rende um filme da Netflix de duas horas e meia: Não Olhe para Cima, que chega à plataforma no dia 24 de dezembro.

Na trama, a pós-doutoranda Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence) descobre um cometa do tamanho do Monte Everest a caminho do planeta. Ele deverá colidir com a Terra em apenas seis meses. Esse é o tempo que Kate e o professor Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) têm para convencer o governo e a população a tomar alguma atitude.

Essa é a pergunta que move a trama de “Não Olhe para Cima”, nova produção da Netflix. Conversamos com Amy Mainzer, consultora científica do filme, para entender o que é fato ou ficção.

O que faríamos se um cometa estivesse em rota de colisão com a Terra?

publicado originalmente em superinteressante

Capitalismo contemporâneo e o glamour que na verdade é de lixo

No capitalismo contemporâneo, bens inúteis e disfuncionais sobrecarregados com tecnologia desnecessária são produzidos em abundância. Uma loucura com um método Cada vez mais pesadas, cada vez mais emissões de CO2, equipadas com sinos e apitos cada vez mais carregados de tecnologia. A indústria automotiva representa a loucura da produção de bens capitalistas como nenhum outro ramo […]

Capitalismo contemporâneo e o glamour que na verdade é de lixo

publicado originalmente em blog do pedlowski

FDA aprova uso emergencial de novo antiviral contra a Covid-19

Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, aprovou nesta quinta-feira, 23, o uso emergencial do molnupiravir, pílula da Merck – MSD no Brasil –  em parceria com a Ridgeback Biotherapeutics para o tratamento de Covid-19.

O remédio é indicado a adultos maiores de 18 anos que tenham testado positivo para a doença e apresentem alto risco de desenvolvimento de quadros graves, incluindo internação ou morte. Feito de anticorpos monoclonais, proteínas produzidas em laboratório que imitam anticorpos gerados naturalmente pelo organismo, o tratamento funciona como uma aplicação extra de anticorpos contra o coronavírus no organismo de pessoas infectadas, impedindo a progressão severa da doença. Por isso, a indicação é no início da infecção, até cinco dias após os primeiros sintomas.

A MSD informou que o antiviral não deve ser utilizado por menores de 18 anos – já que pode afetar o crescimento dos ossos e da cartilagem –, como prevenção pela pré-exposição ou pós-exposição à Covid-19 e em pacientes que já foram hospitalizados. O tratamento também não é indicado para pessoas em estado grave.

“Como novas variantes do vírus continuam a surgir, é crucial expandir o arsenal de terapias contra a Covid-19, enquanto continuamos a gerar dados adicionais sobre sua segurança e eficácia”, disse Patrizia Cavazzoni, diretora do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA.

Na quarta-feira, a FDA também autorizou o uso emergencial da pílula Paxlovid, da Pfizer, para tratamento da Covid-19 em pacientes maiores de 12 anos que também apresentem alto risco de desenvolvimento grave da doença, incluindo hospitalização ou óbito.

Molnupiravir, da MSD, é indicado para pessoas que testaram positivo para o coronavírus e apresentam alto risco de desenvolvimento de doença grave

FDA aprova uso emergencial de novo antiviral contra a Covid-19

publicado originalmente em Veja

%d blogueiros gostam disto: