A Maldição do Farol ( segunda parte)

Já se passou quase uma hora e Lionel decide seguir viagem, o celular continua sem sinal de vida, e seus amigos logo estarão no local combinado. Tira umas fotos, com um bom enquadramento , a luz do fim da tarde deixa tudo mais luminoso. Não dava para imaginar que a brisa que soprava em instantes se transformaria em um vendaval fortíssimo, onde mal daria para parar de pé ,os raios e trovões reluziam de uma maneira que transformava todo redor em um cenário de filmes de horror.

Ele estava bem próximo á porta do prédio, e foi com alívio que entrou no abrigo do farol. Lá dentro, obviamente, era escuro feito breu, e a lanterna do celular iluminou á sua volta…foi uma questão de segundos e a porta bateu, vítima de uma rajada de vento, o aparelho voou longe, deixando Lionel assustado, sozinho na escuridão. Abaixado para procurar o telefone , ele não estava muito a vontade ali, a fobia começava a dar as caras. Ele não percebe quando um vulto escuro surge a seu lado e toca de leve sua nuca, como que transferindo algo de escuro e sinistro, algo que nem em seus pesadelos Lionel poderia supor que existisse. Quase que imediatamente a porta se abre, e ele consegue ver o celular mais a frente, o apanha e se levanta. Com a luz tênue da lanterna ele vê a escada e a curiosidade substitui a cautela… Lionel resolve dar uma espiada no topo do farol , sem dúvidas a vista de lá renderá ótimas fotos.


Uma escada em caracol íngreme e corroída pelo tempo o leva até lá em cima, onde o lume do farol há tempos não ilumina mais nada. Esse lugar já teve sua época de glória, quando era um importante marco para os navegantes e para os moradores locais, que se orgulhavam de abrigar em sua cidade tão imponente prédio.
Voltemos no tempo, há muitas, muitas décadas atrás…nos idos de mil novecentos e quarenta…
A segunda grande guerra se alastrava pela Europa, a sombra da morte e do medo também lançavam fagulhas por aqui. O grande Farol da Enseada, como era conhecido, vivia seus melhores dias, ponto importante para a cidade, iluminando a lagoa e dando o norte aos navegantes e moradores.

Ali morava Matias, o faroleiro, na casa dos quarenta anos, solitário e comprometido com o dever, sem dar muita conversa para ninguém , assim gostava de levar a vida. Nunca havia se casado . Na juventude chegara a ficar noivo, mas a moça o abandonou, indo para a cidade grande com outro homem. A vida e as obrigações corriam tranquilas, com uma notícia ou outra da guerra e do resto do mundo…pelo menos era o que parecia, pois aquele lugar tinha seus segredos , e o sangue de muitos havia sido derramado ali para erguer esses tijolos, pode crer no que te digo…por muitos anos esse fato permaneceu como que hibernando, mas agora devido a tanto mal acontecendo, tanta gente com medo, algo muito sinistro começava a despertar ali, neste farol no sul do Brasil.

continua…

imagens do Pinterest

Crianças Yanomami sugadas por dragas de garimpeiros ilegais: esse é o retrato mais fiel do governo Bolsonaro

A mídia corporativa brasileira está mais uma vez “passando o pano” para um caso gravíssimo ocorrido na Terra Indígena Yanomami causando a morte de duas crianças da comunidade Macuxi Yano, região do Parima, que brincavam próximo a uma balsa de garimpo ilegalmente instalada no rio. As duas crianças, de idades de  5 e 7 anos, […]

Crianças Yanomami sugadas por dragas de garimpeiros ilegais: esse é o retrato mais fiel do governo Bolsonaro

publicado originalmente em blog do pedlowski

Assista a “Guns N’ Roses – Patience” no YouTube

🌹Patience

Um, dois, um, dois, três, quatro
One, two, one, two, three, four

Derrame uma lágrima porque estou com saudades de você
Shed a tear ‘cause I’m missin’ you

Eu ainda estou bem para sorrir
I’m still alright to smile

Menina, eu penso em você todos os dias agora
Girl, I think about you every day now

Foi uma época em que eu não tinha certeza
Was a time when I wasn’t sure

Mas você me acalmou
But you set my mind at ease

Não há dúvida de que você está no meu coração agora
There is no doubt you’re in my heart now

Disse “mulher vá devagar, e vai dar certo”
Said “woman take it slow, and it’ll work itself out fine”

Só precisamos de um pouco de paciência
All we need is just a little patience

Disse “açúcar, deixe lento e vamos ficar bem juntos”
Said “sugar make it slow and we’ll come together fine”

Só precisamos de um pouco de paciência (Paciência)
All we need is just a little patience (Patience)

Sim
Mm, yeahEu sento aqui na escada
I sit here on the stairs

Porque prefiro ficar sozinho
‘Cause I’d rather be alone

Se eu não posso ter você agora, vou esperar querida
If I can’t have you right now, I’ll wait dear

Às vezes fico tão tenso, mas não consigo acelerar o tempo
Sometimes I get so tense but I can’t speed up the time

Mas você sabe, amor, há mais uma coisa a considerar
But you know love there’s one more thing to consider

Disse “mulher vá devagar e as coisas vão ficar bem”
Said “woman take it slow and things will be just fine”

Você e eu só usaremos um pouco de paciência
You and I’ll just use a little patience

Disse “açúcar, demore porque as luzes estão brilhando intensamente”
Said “sugar take the time ‘cause the lights are shining bright”

Você e eu temos o que é preciso para fazer isso
You and I’ve got what it takes to make it

Nós não vamos fingir, eu nunca vou quebrar isso
We won’t fake it, I’ll never break it

Porque eu não agüento
‘Cause I can’t take itPouca paciência, mm sim, mm sim
Little patience, mm yeah, mm yeah

Preciso de um pouco de paciencia, sim
Need a little patience, yeah

Só um pouco de paciência, sim
Just a little patience, yeah

Um pouco mais de paciência, sim (tenho andado pelas ruas à noite)
Some more patience, yeah (I’ve been walking the streets at night)

Apenas tentando acertar (um pouco de paciência, sim)
Just trying to get it right (A little patience, yeah)

É difícil ver com tantos por perto
It’s hard to see with so many around

Você sabe que eu não gosto de ficar preso na multidão (poderia ter um pouco de paciência, sim)
You know I don’t like being stuck in the crowd (Could use some patience, yeah)

E as ruas não mudam, mas talvez os nomes
And the streets don’t change but maybe the names

Não tenho tempo para o jogo porque preciso de você (preciso ter mais paciência, sim)
I ain’t got time for the game ‘cause I need you (Gotta have more patience, yeah)

Sim, sim, sim, mas eu preciso de você (Todos precisam de mais paciência)
Yeah, yeah, yeah but I need you (All need more patience)

Oh, eu preciso de você (todos precisam de um pouco de paciência)
Oh, I need you (All need some patience)

Oh, eu preciso de você (só um pouco de paciência)
Oh, I need you (Just a little patience)

Ooh desta vez (é tudo que você precisa)
Ooh this time (Is all you need)

🌹Fonte: LyricFind

Compositores: W. Axl Rose / Saul Hudson / Duff Rose McKagan / Izzy Stradlin / Steven Adler

Letra de Patience © Universal Music Publishing Group

imagens do Pinterest

Coluna Carbono Zero: Amazônia já emite mais carbono do que absorve

A maior parte do oxigênio da atmosfera, entre 50% e 80%, vem dos oceanos, onde ele é produzido pelo plâncton marinho. Não da Amazônia. Mas a floresta absorvia uma quantidade importante de CO2, ajudando a regular a temperatura global. Porém, recentemente veio a má notícia: a Amazônia não cumpre mais esse papel e, em muitos lugares, sobretudo na borda sudeste da floresta, ela já emite mais CO2 do que absorve.

Essa é a conclusão de um estudo (1) liderado pela pesquisadora Luciana Gatti, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), e publicado na revista Nature. A equipe realizou 590 sobrevoos, medindo concentrações de CO2 e CO em quatro regiões da Amazônia, entre 2010 e 2018. E constatou que a floresta, ao menos em algumas regiões, já “virou o sinal” – de sorvedouro passou a ser emissora de carbono.

Em parte, não é difícil entender como isso acontece. A Amazônia inteira tem cerca de 123 bilhões de toneladas de carbono fixado em sua biomassa, no solo e no subsolo. Um jeito rápido de devolver tudo isso à atmosfera, de uma vez, é queimando. O desmatamento, portanto, cumpre um papel de destaque. Quando as árvores são derrubadas, a preparação do terreno para uso futuro (em geral para pasto ou agricultura) envolve queimar a área.

E o que deixa tudo mais preocupante é que as medições colhidas pelo grupo foram feitas entre 2010 e 2018, período em que o desmatamento não estava tão descontrolado quanto agora (naquela época, ele ficava ao redor de 7.000 km2 anuais, antes de explodir para mais de 10.000 km2 anuais em 2019 e 2020).

Isso está acontecendo devido ao desmatamento e às mudanças climáticas. E pode piorar.

Coluna Carbono Zero: Amazônia já emite mais carbono do que absorve

publicado originalmente em superinteressante

Existem outros animais, além do ser humano, que podem ser destros ou canhotos?

Sim. Muitos animais preferem uma ou outra pata, e você pode testar seu gato ou cachorro observando qual membro eles usam para cutucar aqueles brinquedinhos que escondem um pedaço de ração.

Ao contrário da maioria destra de humanos e chimpanzés, cães e bichanos parecem ser canhotos e destros com a mesma frequência – e cangurus, ao que tudo indica, são quase todos canhotos.

(A título de comparação, só 10% da população mundial é canhota.)

Esse fenômeno, chamado de lateralização, provavelmente é um subproduto da divisão de tarefas entre os dois hemisférios do cérebro, mas os biólogos ainda não sabem o que exatamente explica as preferências observadas em cada espécie.

Pergunta de Gustavo Zambon, Piracicaba, SP

Hora de descobrir com qual pata o seu pet escrev… Quer dizer, tem mais facilidade.

Existem outros animais, além do ser humano, que podem ser destros ou canhotos?

publicado originalmente em superinteressante

%d blogueiros gostam disto: