Theodore Roosevelt, ex-presidente americano, mapeou um dos últimos rios brasileiros em 1914

Muita gente escolhe mudar de carreira depois dos 50. Theodore Roosevelt já havia sido governador de Nova York e presidente dos Estados Unidos duas vezes quando chegou ao quinquagésimo primeiro aniversário. Ele até tentou se eleger novamente, mas perdeu nas urnas. Aos 55 anos, ele já estava cansado da política.

A tentativa de sair do marasmo trouxe Roosevelt para o Brasil, resultou em contribuições importantes para a ciência e quase custou a vida do ex-presidente. Essa história inspirou a nova minissérie da HBO, chamada O Hóspede Americano. A produção é dirigida por Bruno Barreto e protagonizada por Aidan Quinn, no papel de Theodore Roosevelt, e Chico Diaz, como o explorador Cândido Rondon. Abaixo, conheça os detalhes da aventura.

Cansado da política, Roosevelt decidiu que queria explorar a Amazônia – e quase morreu durante a expedição. Conheça essa história, retratada em uma nova minissérie da HBO Max.

Theodore Roosevelt, ex-presidente americano, mapeou um dos últimos rios brasileiros em 1914

publicado originalmente em superinteressante

Estudo relaciona hábito de andar 7 mil passos diários a menor mortalidade

A quantidade da passos diários e a intensidade na qual eles são dados estão associadas à mortalidade prematura entre mulheres e homens de meia-idade?

Esta pergunta foi feita por pesquisadores da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos. Após dez anos de estudo, eles concluíram que andar pelo menos 7 mil passos por dia reduz de 50% a 70% a mortalidade por todas as causas.

Para isso, 2 110 adultos com idades entre 38 e 50 anos foram divididos em três grupos de acordo com a quantidade de passos diários: baixa (menos de 7 mil), moderada (entre 7 mil e 10 mil) e alta (mais de 10 mil).

Os participantes que deram pelo menos 7 mil passos por dia, medidos por um acelerômetro, apresentaram a menor taxa de risco de mortalidade, que não variou em relação àqueles que andaram mais de 10 mil passos.

Deslocamentos ao longo do dia promovem o condicionamento saudável do corpo, protegendo-o de problemas graves

Estudo relaciona hábito de andar 7 mil passos diários a menor mortalidade

publicado originalmente em Veja saúde

O Pica-Pau original integra lista de 23 espécies provavelmente extintas

A Lei das Espécies Ameaçadas (ESA, sigla em inglês), foi aprovada no Congresso americano em 1973. Como o nome sugere, ela foi criada para proteger e recuperar espécies ameaçadas de extinção e também os ecossistemas em que elas vivem. Desde que entrou em vigor, 54 espécies dos EUA recuperaram suas populações e foram tiradas da lista de ameaçadas de extinção. 

Outras 23 espécies devem deixar a lista em breve, mas não pelos mesmos motivos. Nesta quarta-feira (29), o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, um dos órgãos responsáveis pela aplicação da ESA, recomendou que 11 pássaros, oito mexilhões de água doce, dois peixes, um morcego e uma planta sejam considerados extintos, já que não são vistos pelo menos desde a década de 1980. 

Alguns pesquisadores receberam a notícia com preocupação. Isso porque, com a retirada no nome da lista, as autoridades deixam de procurar pela espécie. Ou seja: caso ainda haja alguns exemplares desses seres vivos por aí, eles dificilmente serão encontrados. E aí, qualquer esperança de salvá-los desaparece

O pica-pau-bico-de-marfim, que serviu de inspiração para o famoso pássaro dos desenhos de Walter Lantz, não é observado na natureza desde 1944.

O Pica-Pau original integra lista de 23 espécies provavelmente extintas

publicado originalmente em superinteressante