Empresa levanta US$ 15 milhões para tentar ressuscitar espécie extinta há 4 mil anos

Uma empresa americana de biociência e genética anunciou na última segunda-feira (13) que levantou um investimento de US$ 15 milhões destinado a um projeto bastante ambicioso: trazer os mamutes-lanosos de volta à tundra ártica. Ou mais ou menos isso: o projeto pretende criar híbridos de mamutes, extintos há 4 mil anos, e elefantes asiáticos, que estão atualmente ameaçados de extinção. A empresa chamada Colossal foi fundada por Ben Lamm, um empresário de tecnologia e software, e George Church, um professor de genética de Harvard.

Segundo os responsáveis pelo projeto, recriar um animal semelhante ao mamute-lanoso representa avanços científicos relativos à chance de resgatar espécies extintas, mas também seria uma forma de combater as mudanças climáticas. Segundo os cientistas envolvidos no projeto, os dois mamíferos (o mamute-lanoso e o elefante asiático) apresentam 99,6% de semelhança genética.
O primeiro passo é identificar quais genes compõem a diferença entre os genomas e são, portanto, responsáveis por características específicas dos mamutes – como o pelo, as camadas de gordura e outras adaptações ao clima frio.

Equipe de cientistas e empresários pretende recriar o DNA do mamute-lanoso, usando parte do genoma do elefante asiático e criando híbridos dos mamíferos. Confira.

Empresa levanta US$ 15 milhões para tentar ressuscitar espécie extinta há 4 mil anos

publicado originalmente em superinteressante

Servir à Deus…por Paulo Coelho

“A cada dia o sol ilumina um mundo novo. Aquilo que chamamos de rotina está repleta de novas propostas e oportunidades.
Hoje em algum lugar um tesouro te espera .Pode ser um pequeno sorriso, pode ser uma grande conquista , não importa.
A vida é feita de pequenos e grandes, ela está sempre nos testando, nos oferecendo combates que nos educam e glorificam.
Descubra a alegria de ser essa pessoa linda e uma surpresa para você mesmo.
Afinal, a melhor maneira de servir à DEUS é indo ao encontro de seus próprios sonhos.”

🌻Paulo Coelho

imagens do Pinterest

Assista a “Enya – The Celts (Official 4k video)” no YouTube

🍁The Celts

Hi-ri, hi-ro, hi-ri
Hi-ri, hi-ro, hi-ri

Hoireann é O, ha hi, ra ha, ra ho ra
Hoireann is O, ha hi, ra ha, ra ho ra

Hoireann é O, ha hi, ra ha, ra ha ra
Hoireann is O, ha hi, ra ha, ra ha ra

Hi-ri, Hi-ra
Hi-ri, hi-ra

Hi-ri, Hi-ra
Hi-ri, hi-ra

Vida de vidas
Saol na saol

Do começo ao fim
Tús go deireadh

Estamos vivos
Tá muid beo

Para sempre
Go deo

Vida de vidas
Saol na saol

Do começo ao fim
Tús go deireadh

Estamos vivos
Tá muid beo

Para sempre
Go deo

Hoireann é O, ha hi, ra ha, ra ho ra
Hoireann is O, ha hi, ra ha, ra ho ra

Hoireann é O, ha hi, ra ha, ra ha ra
Hoireann is O, ha hi, ra ha, ra ha ra

Hi-ri, Hi-ra
Hi-ri, hi-ra

Hi-ri, Hi-ra
Hi-ri, hi-ra

Hi-ri, o mundo das vidas
Hi-ri, saol na saol

Oi-ri para sempre
Hi-ri, go deo

🍁Fonte: Musixmatch

Compositores: Nick Ryan / Eith Ni-bhraonain / Roma Shane Ryan

imagens do Pinterest

Hora da mudança: 6 dicas para evitar perrengues ao trocar de endereço

Confira a seguir a pesquisa da plataforma de aluguel que mostra os maiores problemas enfrentados na hora de mudar de casa — e também as dicas para não passar por eles.

BUROCRACIA E DOCUMENTOS

Imprevistos na análise de documentos são frequentes. “Programar tudo com antecedência ajuda muito. Se o RG estiver desatualizado ou em mau estado, já é motivo para atrasar o processo”, diz José Osse, chefe de comunicação do QuintoAndar, que fez a pesquisa em parceria com a Offerwise e ouviu 1500 pessoas. Quase 40% já tiveram perrengues nessa fase.

A ENTREGA DAS CHAVES

Deixaram a chave do apartamento com um porteiro e ele esqueceu de avisar o funcionário do outro turno sobre a mudança: canseiras como essa são comuns e causam frustrações na hora de descarregar os móveis. Para evitá-las, é preciso reforçar o planejamento, checar tudo com antecedência ou optar por plataformas ou imobiliárias que façam a intermediação do aluguel e a gestão das chaves.

ANTECIPE A CHEGADA

Certos detalhes só são lembrados ou descobertos ao chegar à casa nova: pode fazer a mudança aos domingos? O elevador de carga suporta o peso e o tamanho dos móveis? O imóvel foi limpo recentemente? Fatores como esses podem dar dor de cabeça ou até impossibilitar a mudança. Das pessoas ouvidas, 34,9% disseram que tiveram problemas para limpar, encaixotar ou transportar móveis.

O DRAMA DO CARRETO

“Existe uma infinidade de prestadores de serviços, mas pouca informação, o que causa problemas. Na minha última mudança, o transportador não queria levar a geladeira”, conta José. Antes de pagar pelo transporte, faça um levantamento, verifique se a empresa tem muitas reclamações on-line e confira se a opção escolhida oferece todas as etapas desejadas, como serviço de empacotamento de objetos. Na pesquisa, 62,3% dos entrevistados tiveram problemas para limpar ou embalar móveis.

POR TRÁS DAS PAREDES

Infiltrações, falhas hidráulicas e mau funcionamento elétrico, os principais problemas para 47,2% e 35,6% dos entrevistados, podem ser descobertos antes de finalmente se mudar. “É sempre bom abrir os armários e sentir o cheiro. Se tiver odor de umidade ou mofo, há algo errado. Na parte elétrica, se a casa ainda tem as tomadas com dois furos em vez de três, é sinal de que não mexem na estrutura elétrica há um bom tempo.” Sem esse olhar atento, complicações podem surgir logo nos primeiros meses.

A VERDADE VEM À TONA

É difícil prever pesadelos como um vizinho que pratica sapateado de madrugada, mas é possível evitar descobertas desagradáveis, como uma reforma feita às pressas. “Se a casa toda tem marcas de pintura em pontos estratégicos, precisa perguntar o motivo antes de fechar o contrato. Pode ser que tinha um problema que foi resolvido… Ou está escondido.” Conversar com futuros vizinhos ajuda a entender o ritmo do prédio e o histórico de reformas do local.

Levantamento de plataforma de aluguel mostra as maiores dores de cabeça na troca de endereço; veja o que fazer para evitá-las

Hora da mudança: 6 dicas para evitar perrengues ao trocar de endereço

publicado originalmente em Veja