Tempestades…por Khalil Gibran

“Faço votos que aprendas a amar as tempestades em vez de fugir delas.”

Khalil Gibran

imagens do WordPress

Ciprofloxacino: o que é, para que serve e os efeitos adversos

O medicamento é um antibiótico, o mais utilizado da classe das fluoroquinolonas (levofloxacino e moxifloxacino também fazem parte), que age inibindo uma enzima que promove a multiplicação de bactérias.

Ele é indicado para uma lista bem diversa de infecções bacterianas, das simples às mais complexas. Falamos de infecções abdominais, de pele, no trato urinário, nos ossos, nas articulações e até as broncopulmonares.

Como tomar o ciprofloxacino?

“Há a forma oral, de uso mais comum, e a injeção intravenosa, considerada naqueles pacientes com baixa absorção gastrointestinal, que sofrem de diarreia, por exemplo, e que geralmente estão internados”, explica médica infectologista Marina Campelo Jabur, coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Unimed Sorocaba, no interior paulista.

Esse antibiótico é eficaz contra uma vasta gama de infecções. Mas seu uso deve ser feito com cautela devido ao risco de resistência bacteriana

Ciprofloxacino: o que é, para que serve e os efeitos adversos

publicado originalmente em Veja saúde

Fragmentos do dia…

Um pardal na janela, outro na estrada

A mente observa alerta, desperta

A abelha zoa, lá longe a chuva surge

O rastro do bicho, a centenária figueira

Um cafezinho passado, a nuvem,a poeira

Calçado jogado de lado, não gosto,nem quero

Garoa de novo,venta outra vez

Umidade vinda da lagoa…

Barulho só do bambuzal,dos passarinhos

Ou do boi teimoso no pasto

Olho mais de perto…uma capivara

Que a noite deixou o rastro

Revoada de periquitos,um lagarto

Espera, já volto…

Que coisa linda, mais uma foto

Fragmentos de um dia ideal

Caminhada no final da tarde…

As delícias do solzinho matinal

Nada de luxo,nada de pressa

Vivendo no ritmo e no tempo da Terra .

imagens do arquivo pessoal

Telescópio espacial James Webb, da Nasa, deve ser lançado em dezembro

O Telescópio Espacial Hubble, da Nasa, foi lançado três décadas atrás. Ele contribuiu e continua contribuindo para a astronomia, mas já não é o satélite mais moderno da agência. No dia 18 de dezembro, à bordo do foguete Ariane 5 da Agência Espacial Europeia (ESA), deve ir ao céu seu sucessor: o Telescópio Espacial James Webb (JWST), que promete enxergar mais longe do que o Hubble. 

O projeto do James Webb, que recebe o nome de um ex-administrador da Nasa, não é recente. Ele foi idealizado em 1996 e, desde então, recebeu um investimento de US$ 10 bilhões. A equipe por trás do novo observatório soma 1.200 pessoas, entre cientistas, técnicos e engenheiros de 14 países. 

Como será capaz de enxergar muito longe, o telescópio irá investigar eventos que aconteceram 13,6 bilhões de anos atrás, chegando à formação das primeiras estrelas e galáxias, que surgiram 100 a 250 milhões de anos após o Big Bang. A luz de objetos nessa parte distante do universo é desviada para o vermelho, sendo necessários telescópios infravermelhos para observá-los. O JSWT tem essa capacidade, enquanto o Hubble observa principalmente a luz ultravioleta e elemento

O novo observatório, que ficará localizado a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, deve ajudar os astrônomos a compreender a formação das primeiras estrelas e galáxias do universo.

Telescópio espacial James Webb, da Nasa, deve ser lançado em dezembro

publicado originalmente em superinteressante