Assista a “1976 – Raul Seixas – Eu também vou reclamar” no YouTube

😛Eu também vou reclamar

Mas é que se agora pra fazer sucesso

Pra vender disco de protesto
Todo mundo tem que reclamar
Eu vou tirar meu pé da estrada

E vou entrar também nessa jogada
E vamos ver agora quem é que vai guentar
Porque eu fui o primeiro

E já passou tanto janeiro
Mas se todos gostam eu vou voltar
Tô trancado aqui no quarto

De pijama porque tem visita estranha na sala
Aí eu pego e passo a vista no jornal
Um piloto rouba um “Mig”Gelo em Marte, diz a Viking


Mas no entanto não há galinha em meu quintal
Compro móveis estofados
Me aposento com saúde
Pela assistência social
Dois problemas se misturam

A verdade do Universo
A prestação que vai vencer
Entro com a garrafa
De bebida enrustida
Porque minha mulher não pode ver
Ligo o rádio e ouço um chato

Que me grita nos ouvidos
Pare o mundo que eu quero descer
Olhos os livros na minha estante

Que nada dizem de importante
Servem só pra quem não sabe ler
E a empregada me bate à porta

Me explicando que tá toda torta
E já que não sabe o que vai dá pra mim comer
Falam em nuvens passageiras

Mandam ver qualquer besteira
E eu não tenho nada pra escolher
Apesar dessa voz chata e renitente

Eu não tô aqui pra me queixar
E nem sou apenas o cantor
Que eu já passei por Elvis Presley

Imitei Mr. Bob Dylan I know
Eu já cansei de ver o Sol se pôr
Agora eu sou apenas um latino-americano

Que não tem cheiro nem sabor
E as perguntas continuam sempre as mesmas
Quem eu sou? Da onde venho? E aonde vou, dá?


E todo mundo explica tudo
Como a luz acende como um avião pode voar
Ao meu lado um dicionário
Cheio de palavras que eu sei que nunca vou usar
Mas agora eu também resolvi dar uma queixadinha


Porque eu sou um rapaz latino-americano
Que também sabe se lamentar
E sendo nuvem passageira
Não me leva nem à beira
Disso tudo que eu quero chegar
-E fim de papo!

😛Fonte: Musixmatch

Compositores: Raul Seixas / Paulo Souza

Letra de Eu Também Vou Reclamar © Warner/chappell Edicoes Musicais Ltda

imagens do Pinterest

Desvalorizar o tempo de lazer pode fazer mal para a saúde mental

Desvalorizar o tempo dedicado ao lazer pode fazer mal para a saúde mental — e inclusive para a produtividade no trabalho. O recado vem de um compilado de estudos publicado no periódico Journal of Experimental Social Psychology.

Os cientistas da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, realizaram quatro pesquisas que, juntas, ajudam a compreender a importância de hobbies e afins. Elas mostram que voluntários que menosprezavam essas atividades ou não se dedicavam a elas tendiam a exibir taxas maiores de estresse, ansiedade e sintomas depressivos.

“Há muitos estudos sugerindo que o lazer traz benefícios para a saúde mental e que pode nos tornar mais produtivos”, disse Selin Malkoc, uma dos autoras desse trabalho, em comunicado.

Pessoas que negligenciam as atividades prazerosas do dia a dia tendem a apresentar menores índices de bem-estar mental, segundo um compilado de estudos

Desvalorizar o tempo de lazer pode fazer mal para a saúde mental

publicado originalmente em Veja saúde

Contato visual com robô influencia tomada de decisões humana, indica estudo

O olhar pode ser muito representativo para a comunicação humana e indicar, por exemplo, as intenções das pessoas com quem interagimos. Em situações de tomada de decisão, é comum a tentativa de prever o comportamento dos outros por meio da interpretação de seu olhar – assim também podemos definir nossas próprias ações.

Tendo isso em mente, pesquisadores do Instituto Italiano de Tecnologia (IIT) decidiram investigar o que aconteceria quando um humano e um robô humanoide interagissem olhando um para o outro. Eles queriam descobrir se o olhar de um robô poderia influenciar a maneira como as pessoas raciocinam em uma tomada de decisão.

Cientistas observaram a relação entre humanos e um robô durante um jogo; voluntários agiam como se estivessem olhando não para uma máquina, mas para outra pessoa

Contato visual com robô influencia tomada de decisões humana, indica estudo

publicado originalmente em superinteressante

Pesquisadores identificam sete traços de personalidade nos gatos

Quando os pais escolhem presentear seus filhos com cachorros, é comum que eles levem em consideração fatores como tamanho, idade e raça do novo pet. Este último, por sinal, está intimamente ligado com a personalidade do companheiro: o Shih Tzu, por exemplo, é uma raça mais tranquila e pouco brincalhona, enquanto o Golden Retriever tem energia para dar e vender. 

Ao mesmo tempo em que temos muitas informações sobre a personalidade dos cães, pouco se sabe sobre o comportamento dos gatos. Os tutores podem até pensar que os traços de personalidade dos felinos são aleatórios, variando de animal para animal, mas pesquisadores da Universidade de Helsinque, na Finlândia, mostraram que a história não é bem essa. Na verdade, a personalidade destes bichanos pode ser definida em sete diferentes traços que, assim como nos cães, variam de acordo com a raça.

Compreender o comportamento dos bichanos pode ajudar os tutores a desenvolverem ambientes mais confortáveis de acordo com as necessidades de seus pets.

Pesquisadores identificam sete traços de personalidade nos gatos

publicado originalmente em superinteressante