Idosos que mantém cérebro ativo podem adiar em cinco anos o Alzheimer

Atividades simples e cotidianas como ler, escrever, jogar cartas ou montar quebra-cabeças podem atrasar em cinco anos o princípio da doença de Alzheimer. E o mais surpreendente: os benefícios são visíveis mesmo quando tais hábitos são iniciados aos 80 anos. É o que revelou um estudo publicado na Neurology, periódico da Academia Americana de Neurologia.

Os pesquisadores concluíram que o atraso da demência é resultado de atividades de estimulação cognitiva em idades mais avançadas, e não no início da vida. Isso após acompanhar 1 978 pessoas com idade média de 80 anos e que não apresentavam a doença no início do estudo.

Leitura e jogos estão entre as atividades que podem atrasar as manifestações clínicas da demência

Idosos que mantém cérebro ativo podem adiar em cinco anos o Alzheimer

publicado originalmente em Veja saúde

Hábito de tomar café pode reduzir risco de arritmia, diz estudo

Vira e mexe o café é ligado a benfeitorias à saúde – desde que apreciado com moderação. No ano passado, um estudo da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, e do Instituto Norueguês de Saúde Pública, encontrou uma relação entre tomar a bebida e uma maior expectativa da vida – com vantagens para o tipo filtrado. Agora, dados publicados no periódico Jama Internal Medicine sugerem que o café teria um efeito protetor quando o assunto é arritmia cardíaca.

Apesar de algumas limitações, trata-se de uma pesquisa robusta. Os quase 400 mil participantes foram selecionados a partir de um banco de dados genético britânico, o UK Biobank, o que colabora para uma diversidade de pessoas envolvidas.

A bebida sempre gerou desconfiança quando o assunto é o impacto no coração. Mas está cada vez mais claro que o consumo moderado é protetor

Hábito de tomar café pode reduzir risco de arritmia, diz estudo

publicado originalmente em Veja saúde

Assista a “CLOROQUINA TEM AÇÃO ANTIVIRAL?” no YouTube

Oi, Meteoro Brasil trazendo uma questão que não quer calar…

É, sempre que esse assunto parece esgotado,eis que algum “gênio da ciência” traz à baila novas comprovações da eficácia da cloroquina… não?

É o que poderemos ” comprovar ” a seguir!

imagens da internet