Assista a “Esculhambou! Bolsonaro: Hélio Negão Ministro do TCU? Ciro Nogueira leva a mãe junto! Aras quer Bis!” no YouTube

Parem o mundo…eu quero descer!

Sério isso?! O presidente do Bozoquistão manda,desmanda e literalmente coloca quem quer aonde quer,pessoal totalmente desqualificado,diga-se de passagem.

Não tem mais nada para acontecer, não me choco com mais nada…apenas contemplo estarrecida o que virou o Brasil…

Professor José em uma acertada análise.

FORA BOLSONARO 🤡

imagens da internet

Sabores 🧡💛💚❤️

Trazer sentido a vida

Dar um tempero a tua noite

Doce, salgado… agridoce

Tudo que vêm é bem vindo

Muda estação, sentidos, sabores

Tanta beleza , doçura, crueza

Tanta alegria dispensada

Tristeza sentida ou represada

Gostinho de quero mais

Mais do ar,do espaço,do caminho

Da louca novidade que desperta

Que distingue um do outro

Persevera na jornada

Sinta os sabores da vida

Ela é bela, diferente

Aquarela sempre pronta

A criar novos ares

A cada dia renovada…

imagens do Pinterest

Uma planta, vários chás

Em 21 de abril de 2021, Elizabeth II completou 95 anos. E o desejo de “vida longa à rainha”, entoado inclusive no hino britânico, tem sido atendido. A despeito do clamor dos súditos, um empurrão da genética e toda uma conjuntura saudável contribuem para que ela detenha o título de monarca com maior tempo de trono do Reino Unido. Mas, coincidência ou não, um ingrediente em particular não falta no cotidiano da soberana: a Camellia sinensis, espécie que é matéria-prima para o legítimo chá. Um ex-cozinheiro do palácio revelou que o desjejum da majestade se dá com uma xícara da bebida, que, claro, também é apreciada no tradicional serviço das 5 da tarde.

Pode ser verde, branco, preto, ou na forma de matchá e kombucha… O fato é que as bebidas feitas com a Camellia sinensis mantêm a popularidade em alta

Uma planta, vários chás

publicado originalmente em Veja

Novos estudos ajudam a entender o impacto do coronavírus no cérebro

Dias depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretar a pandemia pelo novo coronavírus, em março de 2020, um estudo com pacientes na Itália já relatava a perda do olfato e do paladar como um dos sintomas de Covid-19. Em abril do mesmo ano, foi publicado o primeiro estudo sobre o impacto neurológico da doença, com centenas de pessoas.

Desde então, investigações sobre as consequências da Covid-19 no cérebro têm sido realizadas, abordando desde os efeitos observados na fase aguda até as possíveis sequelas neurológicas – relatadas por cerca de 30% dos pacientes que se recuperaram.

Já se sabe que esse é um dos vários órgãos afetados pelo Sars-CoV-2. Agora, pesquisadores estão empenhados em desvendar as repercussões disso

Novos estudos ajudam a entender o impacto do coronavírus no cérebro

publicado originalmente em Veja saúde