Frase que falamos: Bode Expiatório

Algum inocente que acaba levando a culpa. A palavra vem das antigas festividades judaicas do Dia da Purificação, dois bodes eram levados à presença do sumo sacerdote. Por sorteio, um deles era escolhido e ao infeliz eram imputados todos os pecados do povo de Israel. Desta maneira o seu sacrifício então, expirava a culpa geral. […]

Frase que falamos: Bode Expiatório

publicado originalmente em o baú do folclore

Carioca Nota 10: João Diamante e a comida para quem precisa

Criado na favela Nova Divineia, no Complexo do Andaraí, chef distribuiu 18 toneladas de alimentos em 16 comunidades do Rio durante a pandemia.

O agravamento da fome nestes duros tempos pandêmicos foi uma preocupação de João Diamante desde os primeiros dias de isolamento. Tanto que, ao ser chamado para contribuir com o coletivo Comida de Resistência, o talentoso chef de 29 anos logo acionou outros cozinheiros para pedir doações dos estoques de restaurantes que haviam fechado temporariamente. A ação começou modesta, mas foi ganhando força e, em um ano, distribuiu 18 toneladas de alimentos em 16 comunidades do Rio.

Carioca Nota 10: João Diamante e a comida para quem precisa

publicado originalmente em Veja

A escravidão no Brasil passada a limpo

Lançamento de segundo volume da trilogia de Laurentino Gomes inspira lista de livros sobre população escravizada no país, 133 anos após abolição.

Maior território escravista do hemisfério ocidental, o Brasil foi, entre os países do Novo Mundo, o que mais tempo resistiu a proibir oficialmente o tráfico de pessoas e o último a abolir o cativeiro, por meio da Lei Áurea, em 1888. Mesmo após 133 anos, a população negra ainda sofre consequências de uma escravidão que durou mais de três séculos, e que persiste no racismo estrutural da sociedade brasileira.

A escravidão no Brasil passada a limpo

publicado originalmente em Veja

Shrek, lançado há 20 anos, foi inspirado em um livro infantil de 1990

No dia 18 de maio de 2001, 20 anos atrás, chegava aos cinemas dos EUA o filme que iria revolucionar a indústria da animação. Shrek, uma sátira aos contos de fadas, tornou-se o primeiro vencedor do Oscar de Melhor Filme de Animação, em 2002. O sucesso garantiu ainda três sequências, especiais de natal, spin-off e até musical da Broadway. 

Isso você já sabe. O fato menos conhecido é que, na mesma noite em que o filme levou a estatueta de Melhor Animação, ele concorria também ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Pois é: a ideia do ogro rabugento e seu amigo burro não veio da cabeça dos diretores Andrew Adamson e Vicky Jenson. Na verdade, isso saiu da mente escritor e ilustrador americano William Steig, em 1990, aos 83 anos de idade. 

O ogro criado pelo ilustrador William Steig soltava laser pelos olhos e tem uma história diferente do enredo do filme, que revolucionou as animações.

Shrek, lançado há 20 anos, foi inspirado em um livro infantil de 1990

publicado originalmente em superinteressante